Perda de água em Itaquá chega a 38% segundo o Trata Brasil

Entre janeiro e maio foram encontrados 150 vazamentos nas tubulações do Semae
Entre janeiro e maio foram encontrados 150 vazamentos nas tubulações do Semae - FOTO: Guilherme Berti/PMMC

O Instituto Trata Brasil divulgou um levantamento nesta semana sobre a quantidade de água potável perdida diariamente nas casas e empresas do país. O estudo foi liberado na segunda-feira, mas toma como base o ano de 2019.

O material foi feito a partir de dados públicos do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snis), ano base 2019, e contempla as 100 maiores cidades - os mesmos municípios do Ranking do Saneamento Básico. Neste levantamento, uma da campeãs de desperdício é Itaquaquecetuba, que segundo o Trata Brasil, são desperdiçados 269 litros de água por ligação ativa, todos os dias, percentualmente, na distribuição, são 38,8% de perdas.

A Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) informou que vem trabalhando desde 2009 para a identificação de vazamentos e fraudes na distribuição de água, e que o índice de perdas na área atendida pela empresa está em 27%. "Do índice total da Sabesp, 17,3% são os vazamentos da rede, e o restante são perdas comerciais - ou seja, água consumida que não é contabilizada, decorrentes principalmente de fraude", informou.

Perguntada sobre investimentos na região do Alto Tietê para o combate a perdas, a Sabesp alegou que investiu na renovação de redes e ramais de água, bem como de hidrômetros. "Foram investidos cerca de R$ 25 milhões em 2020, e até o final de 2021 serão investidos mais
R$ 58 milhões nessas ações", informou.

Em Mogi das Cruzes, o Serviço Municipal de Águas e Esgoto (Semae) informou que o índice de perdas é de 43%, e envolvem vazamentos e ligações irregulares. As principais regiões da cidade que teriam problemas, segundo a autarquia mogiana, seriam a área central, a região do Mogi Moderno e o distrito de Jundiapeba.

Com o intuito de reduzir as perdas, a direção do Semae informou que vem investindo na detecção de vazamentos não-visíveis com o uso de equipamentos de escuta e a inspeção de 366 km de tubulações entre janeiro e maio deste ano e a localização de 150 vazamentos, a fiscalização do departamento comercial para identificar ligações clandestinas, a setorização do distrito de Braz Cubas e da região leste da cidade para a agilização dos serviços de manutenção, reforma e impermeabilização de reservatórios, bem como a automação da coleta de dados do sistema de distribuição.

"Outra ação que tem contribuído para reduzir as perdas de água é a substituição de ramais, em vez do reparo. Quando há um vazamento em uma destas ligações, a autarquia tem priorizado a troca, o que diminui a possibilidade de novos vazamentos", informou o Semae em nota.

Colaboração

O Semae pede que, caso o morador identifique um vazamento na rua ou nas ligações entre a rede da rua e o imóvel, que entre em contato pelos telefones são 99915-5145 (via Whatsapp) ou 115.

A Sabesp orienta que os casos de vazamentos em redes e ramais podem ser comunicados pelo telefone 195, que funciona 24 horas (ligação gratuita), pela agência virtual, disponível no site Sabesp ou pelo aplicativo da Companhia.