Reforma da Maternidade da Santa Casa está paralisada

Ainda no primeiro semestre do ano passado foi anunciada uma emenda de R$ 1,8 milhão para as intervenções
Ainda no primeiro semestre do ano passado foi anunciada uma emenda de R$ 1,8 milhão para as intervenções - FOTO: Emanuel Aquilera

A Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes informou nesta semana que as obras de recuperação e ampliação da Maternidade encontram-se paradas. O processo de reforma do setor era uma das obras aguardadas para a unidade médica desde o início de 2020, quando a direção do hospital chegou a interromper a vinda de novas pacientes devido ao excesso da demanda. Casos de gravidez de baixo e alto risco foram redirecionados para hospitais do Alto Tietê.

Na época, foi anunciada uma emenda de aproximadamente R$ 1,8 milhão para a reforma e a adequação de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, por meio de uma emenda parlamentar do deputado federal Marco Bertaiolli (PSD), segundo divulgado pela direção da Santa Casa.

As obras na Maternidade, no entanto, estavam condicionadas à conclusão dos trabalhos de melhoria no Pronto-Socorro Municipal. A readequação do setor foi retomada em junho de 2020, após diversos períodos de início e interrupção, sendo concluída no final do ano passado.

Segundo a direção da Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes, "todas as obras de melhorias e reformas nas áreas assistenciais estão paralisadas pela Covid-19 (coronavírus)".

Atualmente, a Maternidade da Santa Casa de Mogi das Cruzes mantém sua capacidade de 12 leitos de Obstetrícia Cirúrgica (sendo nove do Sistema Único de Saúde - SUS) e 38 leitos de Obstetrícia Clínica, cadastrados pelo processo de contratualização.

Sobre o número de partos realizados entre janeiro e maio de 2021, a direção da unidade hospitalar informou que foram realizados 2.140 procedimentos. Os números relacionados a junho não foram mencionados por estarem em processo de contagem. Em relação ao número de procedimentos represados devido à demanda, a direção da Santa Casa informou que não consta fila de espera, sendo um serviço de demanda espontânea.

Além da Santa Casa, também é aguardada a conclusão da primeira etapa da nova Maternidade Municipal, localizada no distrito de Braz Cubas. A expectativa é de que a entrega aconteça no segundo semestre deste ano.