Programa beneficiou 557 microempresas

Meta foi atender lojistas de produtos não-essenciais
Meta foi atender lojistas de produtos não-essenciais - FOTO: Mariana Acioli/Arquivo

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mogi das Cruzes informou no começo desta semana os detalhes sobre o programa Auxílio Empresarial Mogiano, que encerrou no início do mês a etapa de cadastramento. No total, 854 micro e pequenas empresas se cadastraram para o programa de suplementação de renda no contexto da pandemia.

O programa foi criado em abril como resposta da administração à crise econômica causada pelas medidas de isolamento no primeiro trimestre deste ano. Na ocasião, apenas serviços essenciais como supermercados, farmácias e lojas de materiais de construção, foram autorizados a abrir, ainda com restrições de circulação e de horário de funcionamento.

O Auxílio Empresarial Mogiano tinha, na época, a meta de alcançar até 7.687 micro e pequenas empresas de setores não-essenciais, com até cinco funcionários registrados, e que tenham adotado o sistema tributário Simples Nacional. O repasse, sem a necessidade de pagamento por parte do beneficiário, é equivalente a duas parcelas mensais de
R$ 300 por funcionário, podendo chegar até a R$ 1,5 mil.

Segundo a secretaria, 854 empresas procuraram a municipalidade durante o período de cadastro, que foi encerrado no início deste mês. Deste total, 557 interessados tiveram o cadastro aprovado. "Este número, no entanto, não é o final, uma vez que os cadastros que não se enquadraram receberam orientações sobre as adequações necessárias e, neste caso, podem apresentar solicitação de reconsideração", explicou a Pasta.

O programa, ao ser lançado, contou com aporte de R$ 6,7 milhões para o pagamento. Até o momento, segundo a administração, R$ 713,4 mil foram repassados às empresas, sendo que ainda R$ 135,9 mil deverão ser pagos. "Os números podem crescer, devido também pelas reconsiderações", alertou o município.

Auxílio Emergencial

A Prefeitura também falou sobre a possibilidade, levantada na Câmara de Vereadores, de suplementar o programa Auxílio Emergencial Mogiano, destinado às famílias em situação de vulnerabilidade social durante a pandemia. "A Prefeitura está finalizando os estudos sobre a utilização do valor excedente do Auxílio Empresarial. As discussões contam com participação da Câmara e, ao final do trabalho, um novo projeto deverá ser encaminhado ao Legislativo para análise", concluiu.

O programa, que realizou a terceira e última rodada de repasses no final de junho, alcançou cerca de 32 mil famílias mogianas, com um investimento total de
R$ 9,7 milhões.

Deixe uma resposta

Comentários