Escolha de instituição de idosos precisa ter critério

A utilização de instituições dedicadas a pessoas com mais de 65 anos que necessitam de atenção em tempo integral, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), estão deixando de ser um tabu na sociedade contemporânea. No entanto, diversos pontos devem ser observados pelos familiares que precisam deste tipo de cuidado.

A vice-presidente do Conselho Municipal do Idoso de Mogi das Cruzes, Juraci Fernandes de Almeida, lembrou do caso de uma das instituições que foram vistoriadas após o recebimento de denúncias e fechada permanentemente em março.

Segundo a conselheira, o local não possuía infraestrutura adaptada para a mobilidade reduzida dos internos nem para a lavanderia de roupas de cama e vestuário, mão-de-obra adequada para atender a todos de forma adequada, e não possuía uma rotina alimentícia assinada por profissional formado em Nutrição. "As pessoas tem que ter a plena noção do que uma ILPI deve oferecer, devem visitar com antecedência e ter a plena noção de onde a pessoa vai dormir, quais atividades serão desempenhadas com quem está lá para o seu bem-estar mental e físico.", informou.

Juraci informa que há dois telefones disponíveis para denúncias da população sobre asilos e casas de repouso que não respeitem o Estatuto do Idoso nem as determinações do Ministério da Saúde. Um deles é o Disque 100, que funciona em tempo integral com o repasse das denúncias ao Conselho, que pode ser acionado diretamente pelo telefone 4798-4716. O Conselho Municipal do Idoso de Mogi das Cruzes também pode informar à população quais são as instituições que estão credenciadas e operam dentro da legalidade.

A Prefeitura informou que possui uma programação de inspeções nas ILPIs e instituições voltadas a idosos, bem como o atendimento de denúncias que são repassadas ao Conselho Municipal do Idoso e Ministério Público. No total, foram 11 inspeções em asilos e três inspeções em Centros-Dia. "Destas, quatro apresentaram irregularidades, sendo que três foram fechadas por não atenderem aos requisitos mínimos de funcionamento e uma ficou com restrição de novas admissões.

Segundo a Administração Municipal, Mogi das Cruzes possui quatro ILPIs filantrópicas voltadas a pessoas de baixa renda e nove particulares, um Centro-Dia público e dois particulares.