Educação inicia o Papo Reto, novo canal de comunicação

Os profissionais da educação especial da rede municipal de ensino foram os primeiros a participar, em uma live realizada na noite da segunda-feira passada, do Papo Reto, novo canal de comunicação da Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes com os colaboradores da rede municipal de ensino. Em um diálogo aberto e transparente, o secretário de Educação, André Stábile, respondeu a perguntas e dúvidas enviadas pelos profissionais.

"Estamos abrindo um diálogo bastante transparente para levar a todos essa decisão já tomada pela gestão de colocar a educação como centro do projeto municipal de desenvolvimento. Que possamos trabalhar juntos pelo direito à aprendizagem de excelência para as crianças de Mogi. Nosso propósito é fazer a educação de Mogi brilhar cada vez mais com a participação de todos", disse o titular da Pasta.

O encontro foi mediado pelo professor José Henrique Porto e conta com apoio da Secretaria de Cultura e a Coordenadoria de Comunicação. O secretário adjunto, Caio Callegari, não pode estar presente neste primeiro encontro, mas participará das próximas edições. Participaram desta live profissionais da Escola Municipal de Educação Especial (Emesp) Professora Jovita Franco Arouche e do Pró-Escolar.

Para esta primeira etapa do Papo Reto, os profissionais da rede municipal de ensino foram divididos em grupos para que a comunicação fosse mais focada em suas necessidades. Ontem o encontro foi com professores da rede municipal de ensino e coordenadores pedagógicos e vice-diretores.

Os profissionais perguntaram sobre o funcionamento do Pró-Escolar, a Escola Clínica para o transtorno do espectro autista e como Mogi pode se tornar uma cidade mais inclusiva. "Foi um encontro muito produtivo. O Pró-Escolar foi um dos primeiros equipamentos que visitamos em maio e ficamos com impressionados. Nosso objetivo é fortalecer este trabalho com a capacitação e a ampliação da equipe", disse Stábile. Mogi foi escolhida recentemente para fazer parte do projeto Urban 95, da fundação holandesa Bernard van Leer, o que vai tornar a cidade mais inclusiva a partir do olhar da primeira infância.

Outra questão foi sobre a necessidade da ampliação de psicólogos diante dos impactos causados pela pandemia da Covid-19. "O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) nos permite fazer essa contratação. Ninguém consegue ensinar alguma coisa se estiver em sofrimento emocional. As crianças que estiverem nestas condições não conseguirão se comprometer com o direito de aprender", finalizou o dirigente.