Mogi reduz mortes em 26,3% com avanço das imunizações

A velocidade e a antecipação da vacinação contra o coronavírus (Covid-19) está desacelerando a curva de mortes causadas pela doença, ao menos isso é o que revela os dados levantados pelo Mogi News junto às secretarias municipais de Saúde de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá. Em todas elas foi possível perceber o avanço dos óbitos durante a fase mais aguda da doença, em abril, quando a vacinação ainda engatinhava pelo Alto Tietê, e logo após esse período, um recuo nos falecimentos, a partir de maio.

Mogi, por exemplo, teve o ápice de falecimentos em abril, quando foram registrados 190 vítimas fatais, no entanto, a partir de maio, os óbitos começaram a recuar ao passo em que a vacinação aumentava.

Em maio, a cidade vacinou 83,8 mil pessoas, avançado para 136 mil em junho e 204 mil neste mês, até o dia 20, um aumento de 145% entre maio e julho, do outro lado da tabela, a queda de mortes, conforme o avanço da vacinação. Em maio foram 133 óbitos, por sua vez em junho foram 98, um recuo de 26,3%. Apenas em julho, quando a cidade exibe os dados represados de óbitos que ainda não haviam sido oficializados como de Covid que o cálculo mostra diferença, revelando um aumento de 46,9%, quando foram informados 144 falecimentos, parte deles oriundos de outros meses.

A vizinha Suzano também experimenta uma situação parecida. Em abril ocorreu o pico das mortes, 190, mas a partir de maio uma queda começou a se revelar, sendo que no mês cinco foram 105 falecimentos; em junho, 79, e neste mês, até o dia 20, 72 vítimas fatais; uma queda de 31,4% nos óbitos ao passo que a vacinação avançava, passando de 45,3 mil em maio para 133 mil neste mês, um aumento de 195%.

Demais cidades

Em Arujá, enquanto que entre março e abril foram registrados 66 novos casos fatais em abril, a partir de maio a cidade começa a apresentar uma redução no número de mortes, chegando a 33 no mês (queda de 50%). A vacinação, que até abril era de 8,9 mil pessoas, chegou, no início desta, semana a 41,4 mil imunizados.

Itaquá apresentou números semelhantes, tendo em seu primeiro mês de vacinação 55 mortes, chegando a um total de 181 mortes em maio, no comparativo com abril os óbitos caíram para 67 em junho, uma queda de 62,9%, quando a cidade chegou à marca de 73,9 mil pessoas com a primeira dose.

Poá registrou nas quatro primeiras semanas depois do início da campanha 17 mortes, chegando ao ápice de 56 na terceira semana de abril. No entanto, com a intensificação da campanha de vacinação, que em maio chegou a 22,5 mil pessoas na cidade, os números se estabilizaram em 50 novos casos em maio, uma redução imediata de 10,7%. Hoje o município conta com mais de 59 mil pessoas protegidas.