Comércio recebe com otimismo notícia sobre fim de restrições

Para Sincomércio, Alto Tietê deve retornar ao ritmo de 2019 em até 24 meses
Para Sincomércio, Alto Tietê deve retornar ao ritmo de 2019 em até 24 meses - FOTO: Emanuel Aquilera

Entidades ligadas ao comércio em Mogi das Cruzes e no Alto Tietê celebraram as recentes declarações do governo do Estado de uma possível retomada plena das atividades comerciais essenciais e não essenciais dentro do contexto da pandemia do coronavírus (Covid-19).

As declarações foram feitas no início da semana pelo governador João Doria (PSDB), em que o horário de funcionamento já será ampliado a partir deste domingo para funcionamento até a meia-noite, com taxa de ocupação de até 80% dos estabelecimentos, e o toque de recolher imposto pelo governo estadual das 23 às 5 horas será suspenso a partir deste dia.

A medida será válida para restaurantes, lanchonetes, comércio varejista, shopping-centers, salões de beleza e academias, que foram consideradas pelas autoridades sanitárias como "não essenciais" durante o auge da pandemia. A expectativa das autoridades é que, caso os níveis de contaminação da Covid-19 se mantenham em queda, no dia 17 de agosto todo o comércio será irrestrito.

A notícia foi bem-recebida pela Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), que considerou a medida como fundamental para a retomada econômica de todos os municípios do Estado, inclusive do Alto Tietê e de Mogi das Cruzes. "Esta medida é fundamental e vamos continuar com todos os protocolos sanitários para garantir a segurança de todos", informou a presidente da entidade, Fádua Sleiman.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), Valterli Martinez, também colocou-se favorável à nova determinação do Palácio dos Bandeirantes. "Esta medida vem sendo aguardada por nossos comerciantes há meses, como fruto de todo o trabalho desenvolvido para garantir que o comércio venha a ser seguro para quem trabalha e para os consumidores", afirmou.

Valterli também apontou que a nova determinação do Plano São Paulo coincide com o início da retomada das atividades econômicas em Mogi e região: "Já tivemos a confirmação de mais de 60 novos estabelecimentos comerciais criados na nossa região, um sinal de que estamos nos recuperando. Com esta liberação, mais comerciantes não poderão apenas voltar a desempenhar seu trabalho plenamente, mas também micro e pequenos empreendedores poderão retomar tranquilamente, depois de uma longa espera".

No entanto, na visão do presidente do Sincomércio, ainda há um longo caminho para que se possa recuperar o impacto da pandemia na atividade econômica. Em sua avaliação, será necessário um período de 18 a até 24 meses para que os indicadores de produtividade e taxa de empregos possam voltar aos patamares de 2019, de antes da pandemia. "Já estávamos tendo uma leve recuperação depois da crise entre 2017 e 2018, e agora teremos um caminho ainda maior a percorrer", concluiu.