Pagamento de impostos cai 22,8% em Mogi das Cruzes

Números são do Painel Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo
Números são do Painel Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo - FOTO: Divulgação

O valor de impostos pagos em Mogi das Cruzes para as esferas de governo municipal, estadual e federal, apresentou redução um pouco maior do que 22% durante esses primeiros sete meses em relação ao mesmo período ano passado, apontou o Painel Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Os números disponibilizados publicamente levam em conta as bases de dados da Receita Federal, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Secretarias de Estado da Fazenda e Tribunais de Contas da União, estados e municípios.

Em Mogi, o pagamento de tributos entre janeiro e julho de 2021 foi de
R$ 247,682 milhões, sendo que no mesmo período em 2020 foi de R$ 320,879 milhões, uma redução de 22,8%.

Em 2021, o total pago em impostos pelas dez cidades do Alto Tietê, até sexta-feira passada, chegou à marca de R$ 783,850 milhões. Somadas, as cinco cidades com maior população do Alto Tietê, o montante arrecadado com impostos é de R$650,668 milhões.

A segunda cidade com maior arrecadação de impostos em 2021 no Alto Tietê foi Poá, que registrou R$ 152,582 milhões nos primeiros sete meses deste ano. A cidade, que vem passando por uma crise desde o início do ano, quando decretou estado de calamidade financeira, superou o pagamento de taxas e impostos no ano passado, que foi da ordem de R$ 143,379 milhões: um aumento de 6,41%.

Suzano foi outra das cidades que teve queda na arrecadação entre 2020 e 2021. Entre janeiro e julho do ano passado, a Cidade das Flores registrou R$ 171,343 milhões pagos para as três esferas de governo, mas neste ano foram R$ 129,390 milhões. A queda na arrecadação representa 24,4%.

Itaquaquecetuba também teve queda nos valores quitados com impostos e tributos neste ano. Entre janeiro e julho deste ano foram R$ 93,332 milhões, sendo que no ano passado foram R$ 152,171 milhões, uma queda de 38,66%.

A cidade de Ferraz de Vasconcelos foi a que teve numericamente a menor queda no pagamento de impostos, no entanto,. Segundo a ferramenta da Associação Comercial de São Paulo, os contribuintes ferrazenses tiraram dos bolsos R$ 27,682 milhões neste ano, contra R$32,412 milhões no ano passado, fechando estes primeiros sete meses com uma diminuição de 14,5%.