Movimento Pedágio Não reúne 600 pessoas na Mogi-Dutra

Movimento pacífico atraiu a participação de muitos motoristas contrários ao projeto
Movimento pacífico atraiu a participação de muitos motoristas contrários ao projeto - FOTO: Mogi News/Arquivo

O coordenador do movimento Pedágio Não Paulo Bocuzzi, que centraliza os esforços da sociedade civil contra a instalação de uma praça de pedágio na rodovia Mogi-Dutra (SP-88), avaliou como satisfatória a participação dos mais de 600 mogianos no último sábado, durante o mais recente ato promovido na cidade.

Os organizadores fecharam uma das faixas da rodovia na chegada ao município, em um posto de gasolina, e realizaram durante o período de sinal vermelho de um semáforo para pedestres a distribuição de adesivos, exibição de faixas e cartazes, além de discursos de membros do movimento e de setores que apoiam a mobilização. O ato contou com o apoio da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Estadual e de agentes de trânsito da Prefeitura de Mogi das Cruzes, bem como da Guarda Municipal.

Entre as autoridades que discursaram durante o ato, que teve duração aproximada de três horas, Gildo Saito, do Sindicato Rural de Mogi das Cruzes, falou sobre os riscos aos produtores agrícolas do município, e Fádua Sleiman, presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), que mencionou os riscos para a geração de empregos e o isolamento do distrito industrial do Taboão e de outros bairros no entorno.

Questionado sobre o número de participantes, Bocuzzi informou à reportagem que o total de participantes esteve dentro das expectativas do movimento diante de outras ações semelhantes, mas fez um apelo para um maior engajamento da comunidade sobre o assunto. "O público foi satisfatório durante o período, sendo que houve uma rotatividade bem grande dos participantes que chegaram em momentos distintos, mas este é um tema que afeta toda a população, e que merece a atenção de todos", ressaltou.

Até o momento, o ato com o maior número de participantes foi a carreata realizada no início de junho que tomou uma faixa da Mogi-Dutra em ambos os sentidos, na qual 1,1 mil veículos aproximadamente fizeram parte do ato contra o projeto do governo do Estado pela praça de cobrança.

Tanto o Pedágio Não quanto a Prefeitura anteriormente colocaram-se em espera do posicionamento da Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) frente ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), aguardada para esta semana, sobre os questionamentos do tribunal acerca da competência da agência em elaborar editais de licitação para a concessão de rodovias.

Arrecadação

O ato na via de entrada do município também buscou arrecadar alimentos não-perecíveis para entidades assistenciais que apoiam a iniciativa do Pedágio Não que atuam no município de Mogi das Cruzes.

Segundo Bocuzzi, foram arrecadados cerca de 200 quilos de alimentos, que passarão por um processo de triagem e destinação sob responsabilidade do Sincomércio e da Associação Comercial.

Deixe uma resposta

Comentários