Pequenos Músicos retomam as atividades nas escolas

Próxima fase com ensaios em grupo será definida
Próxima fase com ensaios em grupo será definida - FOTO: Divulgação/PMMC

O som dos instrumentos sinfônicos já pode ser ouvido nos corredores do Cempre Prof. José Limongi Sobrinho, no Botujuru, desde a segunda-feira passada. A unidade escolar é uma das 21 atendidas pelo projeto Pequenos Músicos... Primeiros Acordes na Escola, realizado pela Secretaria de Educação de Mogi das Cruzes, que está retomando de forma gradual as atividades presenciais, de acordo com os protocolos sanitários e a organização das escolas participantes.

Um dos instrumentos é o clarinete de Beatriz Redondo, de 13 anos, que retomou as aulas nesta semana. "É muito bom voltar. Já era uma rotina para mim. Estou no projeto desde os sete anos. Senti muita falta de estar aqui", disse. Com a mesma idade, Gustavo Ferreira dos Santos, está no projeto desde 2018 e também comemorou a volta. "É bom ficar com o pessoal e tocar. ".

Os dois são alunos de Rayane Reis, monitora de madeiras, que também começou cedo na música aos oito anos na EM Prof. Mario Portes, em Jundiapeba. Aos 24 anos, ela cursa Letras e estuda fagote na Escola de Música de São Paulo, onde já estudou saxofone. "Estava muito ansiosa pelo retorno. Falei com eles desde a primeira aula que fazer música nesse cenário em que estamos vivendo é uma vitória, um ato de resistência", disse.

Na escola, o atendimento começou reduzido com 50 alunos divididos. "A escola está recebendo as cores de volta. Essa retomada para nós é como se estivéssemos no palco novamente recebendo os aplausos da plateia", disse o coordenador do projeto no Cempre, Ewerton Ravelli.

O grupo fará aulas de instrumentos nestes primeiros 15 dias e a próxima fase, com uma possível retomada dos ensaios em grupo, será definida após uma nova conversa entre a gestão da escola e os monitores do projeto.