USF Vila Amorim recebe capacitação de cuidado

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Diretoria de Atenção à Saúde, em parceria com a Rede de Atenção à Pessoa Vítima de Violência Doméstica e Sexual (RAPSVDS), promoveu nesta semana mais uma capacitação do projeto "Monitoramento do Cuidado", voltado ao acompanhamento multidisciplinar de vítimas da violência e à prevenção de novos casos. Desta vez, o treinamento foi aplicado junto às equipes da Unidade de Saúde da Família (USF) Vereador Marsal Lopes Rosa, na Vila Amorim.

De acordo com a diretora de Atenção à Saúde, Flávia Verdugo, a intenção é gradualmente expandir a iniciativa para todo o município, priorizando as unidades localizadas em territórios que registram índices expressivos de casos de violência contra segmentos populacionais vulneráveis, como mulheres, idosos e crianças.

Para isso, os profissionais da unidade passam pelo treinamento desenvolvido pela própria Diretoria de Atenção à Saúde, em parceria com a RAPSVDS. A capacitação é direcionada a agentes comunitários de saúde, médicos, enfermeiros, farmacêuticos, auxiliares de enfermagem, psicólogos, auxiliares de limpeza e funcionários do setor administrativo, a fim de que todo o grupo esteja apto a identificar os eventuais casos de violência acolhidos.

"O treinamento consiste no desenvolvimento das etapas para a linha de cuidado oferecido às pessoas em situação de violência. São trabalhados temas como os conceitos da violência, instrumentos de trabalho, rede intersetorial, entre outros assuntos importantes", explicou a diretora.

A previsão é de que o "Monitoramento do Cuidado" esteja plenamente em operação na Vila Amorim até o final de agosto. Em julho, a ação foi implantada na USF Jardim Europa e na USF Maria Inês P. Santos, no Jardim Revista.

Ao longo dos últimos três meses, a iniciativa identificou 720 casos de violência que passaram a ser acompanhados pela equipe multidisciplinar das unidades devidamente capacitadas para esse acolhimento. Até então, a maioria das ocorrências eram identificadas pelos equipamentos de urgência e emergência, como o Pronto-Socorro Municipal (PS) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por exemplo.

"Estamos capacitando esses funcionários para que cada vez mais tenhamos um olhar apurado para as pessoas que vivem em situação de violência. Muitas vezes essas vítimas são silenciadas, mas no serviço em Saúde seremos treinados para identificar os casos e realizar o melhor direcionamento na rede de apoio que o município oferece", disse o secretário municipal de Saúde, Pedro Ishi.