Homens com idade entre 60 e 69 são maioria das vítimas

Além de Mogi das Cruzes, demais municípios do G5 possuem dados semelhantes
Além de Mogi das Cruzes, demais municípios do G5 possuem dados semelhantes - FOTO: Mogi News/Arquivo

Os homens com idade entre os 60 e 69 anos, portadores de cardiopatias, são os mais vitimados pelo coronavírus (Covid-19) em Mogi das Cruzes, segundo o levantamento feito pela reportagem com o apoio de dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e divulgado diariamente por meio do portal oficial do órgão. Os números se referem à atualização efetuada na manhã de ontem. Entre as comorbidades que mais deixam as pessoas vulneráveis está a Síndrome de Down.

No município, do total de 1.583 mortos, 692 eram mulheres (43,7%) e 891, homens (56,2%). A faixa etária predominante que no início do ano era de pessoas entre 70 e 79 anos está agora entre os 60 e 69 anos. Entre os mortos em Mogi, 1.029 eram até ontem de cor branca, 67,4% do total. Mais de 40% dos mogianos que não resistiram às complicações do vírus tinham alguma cardiopatia - a porcentagem chegou a 42,5%.

Assim como em Mogi, a cidade mais populosa do G5 da região, a comorbidade que esteve presente na maioria das vítimas das outras quatro maiores cidades é a cardiopatia. O termo abrange todas as doenças que acometem o coração, sendo que alguns dos tipos mais comuns são a cardiopatia congênita, doenças no miocárdio, infecção no coração, cardiopatia de válvula, cardiopatia hipertensiva e a cardiopatia isquêmica.

Em Itaquaquecetuba, dos 925 falecimentos registrados até a tarde de ontem, 406 eram mulheres (43,8%) e outros 519 eram homens (56,1%), a maior parte dos vitimados pela Covid-19. Neste caso, a faixa etária de maior incidência das mortes é também dos 60 aos 69 anos, correspondendo a 30,6% do total. Grande parte dos moradores que não resistiram às complicações da doença é parda, somando 418 vítimas, 42,4% do total.

Já o município de Suzano somava 898 moradores que faleceram em razão da doença viral. Deste total, 393 são mulheres, o que corresponde a 43,8%, e 503 eram homens, 56,1%. Além disso, a maioria das vítimas é de cor branca e tem entre 60 e 69 anos.

Ainda de acordo com a Fundação Seade, dos 467 óbitos de Ferraz de Vasconcelos, 206 (44,1%) eram mulheres e 261, homens (55,8%). Do total, 144 vítimas eram brancas e a maior quantidade de mortos tinha também entre 60 e 69 anos.

Por fim, em Poá, dos 370 mortos pela Covid-19, 162 eram mulheres (43,9%) e outros 207, homens (56,1%). Além de 27,8% das vítimas terem entre 60 e 69 anos, 60,4% delas eram pessoas brancas.