Preço do gás sobe até 46,9% em um ano nas cidades do G5

Preços levantados pela reportagem utilizam os meses de julho de 2020 e 2021
Preços levantados pela reportagem utilizam os meses de julho de 2020 e 2021 - FOTO: Divulgação

Consumidores do Alto Tietê que desembolsavam, em média, R$ 64 em cada botijão de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o popular gás de cozinha de 13 quilos, em julho do ano passado, estão pagando valores próximos dos R$ 100 em cada unidade no mesmo período deste ano. As informações são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgadas mensalmente por meio do portal oficial.

Os preços levantados pela reportagem se referem às cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos e Poá, o G5 regional. Em julho do ano anterior, as famílias de Mogi pagaram cerca de
R$ 66 em cada botijão de gás nos locais onde eles são comercializados. Já no mês anterior, os valores variaram de R$ 89 a R$ 97, uma variação da ordem de 46,9%.

Em Suzano, durante o final do primeiro semestre do ano passado para este ano, as variações foram de R$ 66 a R$ 88, sendo que os preços chegaram a até
R$ 97, segundo a ANP, mesma variação encontrada em Mogi. Por este motivo, as reclamações têm sido cada vez mais frequentes entre os consumidores, principalmente pelas pessoas que são provedoras de suas famílias.

Muitas estão optando por outras alternativas para manter o preparo de todas as alimentações, o fogão a lenha é uma delas. Ainda de acordo com a ANP, os botijões de gás no município de Ferraz custavam cerca de R$ 67, em julho do ano passada. Já no mês passado, após um ano, os valores oscilavam entre os R$ 88 e R$ 97, um aumento que pode chegar até 44,7%.

Por outro lado, em Itaquá, os consumidores pagaram um preço mais baixo do que as outras cidades do G5 em cada botijão de gás e durante os 31 dias no mês de julho de 2020, a ANP listou um valor de R$ 55. No mesmo período deste ano, os valores chegaram a até R$ 92, o que pode gerar uma variação de 67,2%. No município de Poá, no mês anterior as famílias pagaram até R$ 95 gás de cozinha, sendo que há um ano o valor estava em R$ 68, elevação de 39,7%.De acordo com a Petrobras, a elevação do valor do gás de cozinha acompanha, o mercado internacional e as variações do produto e da taxa de câmbio

Fiscalização

O papel da ANP é monitorar os preços praticados no mercado. Preços muito abaixo da média podem indicar algum tipo de fraude (fiscal ou de qualidade do produto).

Preços iguais em vários postos podem indicar cartel. Caso haja algum indício de infração à ordem econômica, a ANP envia informações ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para avaliação e tomada de providências necessárias.