Apae apresenta reforma de baias

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Mogi das Cruzes apresentou, na manhã de ontem, as novas acomodações dos quatro cavalos utilizados na Equoterapia, no Núcleo Rural. No dia 9 de agosto foi comemorado o Dia Nacional da Equoterapia, instituído pela lei 12.067/2009.

A construção das baias é o resultado de dois eventos solidários realizados há um ano em prol da instituição: a LIVE (em 1º de agosto de 2020), e uma Vakinha, e que contou, portanto, com a colaboração e a benemerência de dezenas de voluntários.

A baia que existia era uma construção antiga e feita em madeira. O coordenador do Núcelo Rural, Paulo Henrique dos Santos Prado, explicou o que foi feito no espaço: "Praticamente, tudo!. Colocamos a antiga construção no chão e refizemos tudo, desde a parte de alvenaria e telhado, até as elétricas e hidráulicas". O espaço conta, agora, com cinco baias e cada uma tem uma área de piquete, onde os equinos passam o dia, no verão.

Os cavalos utilizados na Equoterapia são: o Mumuzinho, de 3 anos e meio; o Patatá, de 24 anos; o Apache, de 8 anos, e a Chayenne, de 8 anos. Eles prestam assistência a 116 assistidos da Apae de Mogi das Cruzes e 30 crianças do projeto Reabilitação através da Equoterapia, lançado em junho deste ano, e voltado para um grupo de pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). A faixa etária de todos os beneficiados varia de 3 anos a 30 anos. No momento, por causa da pandemia do coronavírus (Covid-19), os atendimentos estão sendo feitos por meio de agendamento. Além disso, a APAE atende algumas pessoas de forma particular.

O serviço de Equoterapia é oferecido na instituição mogiana desde agosto de 2004, e foi pioneiro para a época.