Elevação das mortes por Covid é de 191% entre janeiro e agosto

Mogi das Cruzes apresentou um maior número de mortes nos primeiros oito meses do ano na comparação com os óbitos registrados entre março e dezembro de 2020, no que foi considerada a primeira onda da pandemia do coronavírus (Covid-19), em números absolutos, segundo apontou um levantamento feito pelo Mogi News com base nos dados fornecidos pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat)

Em todo o Alto Tietê, nos primeiros nove meses da pandemia, a região registrou um número total de 1.801 casos fatais de Covid-19. Do início do ano até 6 de agosto, o total de vítimas pela pandemia foi de 5.149, o que representa um aumento de 185%.

A cidade que teve o maior aumento absoluto no número de mortes foi Mogi das Cruzes, que saltou de 546 casos de março a dezembro do ano passado para 1.590 no período entre janeiro e agora. Neste ano, foram 1.044 mortes - um aumento de 191%.

Suzano, por sua vez, teve o segundo maior aumento no número de casos em 2021, mas foi a que teve o maior aumento proporcional. Até a virada do ano passado, a pandemia havia tomado a vida de 288 suzanenses, mas, desde o início deste ano, foram 620 novos óbitos, somando 908 vítimas, um aumento de 215%.

Logo após Suzano e Mogi, o maior número de mortes por Covid-19 no ano de 2021 está a cidade de Itaquaquecetuba, que neste ano contabilizou 610 casos fatais. No entanto, em 2020 a cidade contava com 354 casos - um aumento de 172% na contagem.

Ferraz de Vasconcelos também apresentou um aumento expressivo no número de óbitos por Covid-19, saltando de 183 na virada do ano para 491 no início de agosto deste ano, um aumento de 308 casos, ou 168%.

A cidade de Poá, de janeiro a agosto deste ano registrou 239 novos casos fatais do novo coronavírus, em contraste com os 136 registros de morte ao longo do ano passado. O aumento foi de 74,1%

O aumento nas mortes por Covid-19 também foi registrado em cidades com população menor do que o G5, grupo das cidades mais populosas da região, como em Santa Isabel (de 83 para 244 - aumento de 193%) e Guararema (de 40 para 100 - aumento de 150%).

A expectativa do governo do Estado, no entanto, é de que o número de mortes mantenha o viés de queda com o reforço da campanha de vacinação em todo o Estado. Até o momento, 890 mil pessoas do Alto Tietê já receberam a primeira dose do agente imunizante.