Limpeza de rios na região retiroumais de 66 mil m³ de resíduos

Em Poá, foram retirados mais de 13,7 mil m³ de sedimentos do córrego Itaim
Em Poá, foram retirados mais de 13,7 mil m³ de sedimentos do córrego Itaim - FOTO: Rodrigo Nagafuti/Secom Poá

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), do governo de São Paulo, informou na segunda-feira que já foram retirados mais de 66,6 mil metros cúbicos de sedimentos, entulho e lixo de rios e córregos de cidades da região do Alto Tietê. As ações fazem parte do pacote de obras financiado com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro).

Na cidade de Mogi das Cruzes, mais de 38,6 mil metros cúbicos de sedimentos foram removidos do rio Jundiaí, entre a avenida das Orquídeas e a rua José Pereira, sendo o setor de maior comprimento (três quilômetros de extensão). No trecho entre Suzano e Itaquaquecetuba, 1,3 quilômetros do rio Jaguari, entre a foz do rio Tietê e a estrada do Preju, tiveram 14,3 mil metros cúbicos de lodo e resíduos removidos. Já em Poá, o córrego Itaim teve mais de 13,7 mil metros cúbicos de sedimentos retirados em um trecho de um quilômetro.

A expectativa é de que ainda sejam retirados mais 25 mil metros cúbicos de terra, areia, lodo e vegetação do fundo do rio Guaió, na parte entre Suzano e Poá, em uma faixa de 1,5 quilômetros. Os trabalhos ainda estão sendo realizados e a expectativa é de que sejam concluídos ainda no segundo semestre.

O DAEE confirmou que segue em fase final de elaboração outros nove editais de licitação para um novo pacote de obras para a bacia hidrográfica do Alto Tietê. O investimento total em toda a Região Metropolitana de São Paulo, segundo o departamento estadual, pode chegar a R$ 63,3 milhões.

As obras confirmadas pelo governo do Estado no novo pacote para o Alto Tietê contemplam os trechos 4,5 e 5 do rio Tietê em Mogi das Cruzes e Biritiba Mirim (num total de 8 quilômetros), a limpeza e desobstrução a partir da foz do córrego da Capela em um trecho de um quilômetro, bem como a limpeza e desassoreamento do rio Taiaçupeba Mirim, que compreende os municípios de Mogi das Cruzes, Suzano e Ribeirão Pires em dois trechos.

Questionada pela reportagem, a Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que desenvolve ações contínuas para a prevenção de enchentes com recursos próprios e por meio de parcerias, e que acompanha a execução dos serviços realizados pelo DAEE, considerando-os essenciais para a prevenção de enchentes. "A fluidez dos dois rios colabora para evitar ocorrências em toda a região do Jardim Aeroporto, Oropó e de Jundiapeba", informou a administração.

Poá, por sua vez, avaliou como sendo de grande valia o auxílio proveniente do governo do Estado, principalmente na limpeza e desassoreamento do rio Guaió, próximo ao limite com Suzano. "Vamos solicitar medidas de limpeza de galeria de águas pluviais e ações de limpeza e desassoreamento de córregos", declarou a adminstração poaense.

 

Deixe uma resposta

Comentários