Criminalidade em Itaquá tem aumento durante mês de julho

Outras cidades da região também apresentaram aumento durante o período
Outras cidades da região também apresentaram aumento durante o período - FOTO: Mogi News/Arquivo

Região - Itaquaquecetuba foi a cidade do Alto Tietê que teve o mês de julho violento, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Levantamento feito pela reportagem com base nos dados da Pasta leva em consideração a variação de dois crimes hediondos: homicídio e estupro (que inclui também o estupro de vulnerável, quando a vítima tem menos de 13 anos), além do total de roubos praticados no município (somando roubo de carga e roubo à pessoa).

Itaquá, que não havia registrado homicídios no mês de junho, teve cinco casos de assassinato no mês seguinte. Enquanto que em junho foram registrados apenas dois casos de estupro, foram nove no mês seguinte - um aumento de 350%. O número de roubos na cidade manteve-se ligeiramente estável, de 240 casos para 266, ou um aumento de 10,8%.

Na média da criminalidade no território do município, a cidade de Suzano também apresentou um aumento repentino nos indicadores: os homicídios aumentaram 66,6% (de três para cinco em um mês), 80% no número de casos de violência sexual (de cinco para nove) e 7,09% nos casos de roubo (de 141 para 150).

A cidade de Mogi das Cruzes, que conta com a maior população no Alto Tietê, manteve em zero o número de homicídios entre junho e julho, e foi a que teve a maior queda absoluta no número de casos de estupro de adultos e crianças (de 12 em junho para cinco em julho, uma redução de 58,3%). No entanto, os roubos aumentaram de 99 para 111, um aumento de 12,1%.

A cidade de Poá foi a que apresentou a maior queda nos índices de crimes sexuais, de quatro casos de estupro para apenas um em julho (queda de 75%), mas foi a que na porcentagem teve o maior aumento entre as cinco cidades com maior população no Alto Tietê: de 73 roubos para 86 em um mês, um aumento de 17,8%.

Entre as cidades com maior população no Alto Tietê, Ferraz de Vasconcelos é a que apresentou os melhores índices: embora tenha ocorrido um homicídio cada nos meses de junho e julho, a cidade não teve casos de estupro e apresentou uma queda no número de roubos: de 118 para 113 na última contagem, o que representou uma queda de 4,23%.

Produtividade

A SSP também revelou ontem os números das ações da Polícia Militar e da Polícia Civil no Alto Tietê.

No mês de julho, a cidade de Mogi das Cruzes foi a que teve maior número de ocorrências de tráfico de drogas (22), de pessoas presas em flagrante delito (88) e com abertura de inquéritos policiais (247). Suzano surge em segundo lugar com 21 ocorrências por narcotráfico, 57 prisões em flagrante e 192 inquéritos abertos.

No total, o Alto Tietê teve 86 ocorrências ligadas à venda de entorpecentes, 57 pessoas detidas durante atos criminosos e 836 inquéritos policiais iniciados.

 

Deixe uma resposta

Comentários