Início de obras do Pq. Antônio de Almeida começa em outubro

Obra será realizada no distrito de Cezar de Souza e faz parte do projeto Viva Mogi
Obra será realizada no distrito de Cezar de Souza e faz parte do projeto Viva Mogi - FOTO: Moginews/Arquivo

Mogi - A Prefeitura confirmou que começará no mês de outubro a construção do parque Antônio de Almeida, na região leste da cidade. A iniciativa faz parte do pacote de infraestrutura "Viva Mogi", voltado para a região leste da cidade.

O pacote tem como objetivo realizar obras de saneamento básico, mobilidade urbana, redes de coleta de esgoto e soluções sustentáveis para a população do distrito de Cezar de Souza e na região central da cidade. O pacote de obras conta com aporte do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, três licitações já foram concluídas: para o parque Antônio de Almeida, com investimento de R$ 10,8 milhões e um prazo de execução de 18 meses; para o parque Francisco Rodrigues Filho, com investimento de
R$ 4,5 milhões e construção em 12 meses.

Outro ponto apontado pela administração municipal é a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto - Leste (ETE-Leste) do Serviço Municipal de Águas e Esgoto (Semae). Este último contará com ações para expansão da capacidade de processamento, passando dos atuais 142 litros de esgoto tratado por segundo para 460 litros/segundo. A obra, que conta com um contrato de R$ 32,6 milhões, tem uma estimativa de três anos para conclusão.

Segundo a Prefeitura de Mogi, a empresa responsável que ganhou a licitação já está se preparando para a montagem do canteiro de obras, e a expectativa é de que os trabalhos tenham início no mês de outubro.

Entretanto, há a expectativa de que novas obras do pacote de infraestrutura para a região leste da cidade sejam anunciadas pelo gabinete do prefeito Caio Cunha (Pode).

Sobre o Viva Mogi

O programa de obras de infraestrutura para a região leste da cidade foi apresentado em 2018, na gestão do prefeito Marcus Mello (PSDB), com a proposta de realizar melhorias em três eixos: socioambiental, saneamento básico e mobilidade e desenvolvimento urbano.

O financiamento das obras pelo CAF foi confirmado na primeira metade de 2020, com o aporte de US$69,2 milhões (equivalente a R$350 milhões, em cotação atual). Os valores incluem os custos com as obras, além de indenizações para desapropriação de terrenos e outras obrigações da municipalidade.

 

Deixe uma resposta

Comentários