Coordenadora do Fundo Social promove um balanço das ações

Durantes os dois quadrimestres foram arrecadados 33,8 toneladas de alimentos
Durantes os dois quadrimestres foram arrecadados 33,8 toneladas de alimentos - FOTO: Divulgação

A coordenadora do Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes, Pâmela Cairo, concedeu entrevista nesta semana para o grupo MogiNews/DAT sobre as novas ações do órgão voltadas à população, além de outras iniciativas promovidas pelo órgão nos dois primeiros quadrimestres deste ano.

Pâmela, que atua junto à primeira-dama e dirigente do Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes, Simone Margenet Cunha, ressaltou duas campanhas que foram lançadas na semana de aniversário da cidade, no início deste mês: a campanha "Ciclos", de conscientização ambiental, e o banco de voluntariado "Sou".

A primeira iniciativa, segundo Pâmela, é uma expansão do trabalho realizado na campanha "Tampinha Solidária" até o final do ano passado, que arrecadava tampinhas de plástico recicláveis e trocava por ração para animais de estimação, que passa agora a recolher tampas de plástico, embalagens cartonadas (Tetra Pak) e lacres de latas de alumínio. "Nós ouvimos as necessidades das entidades que trabalham com reciclagem e da população desde o início do ano, e ampliamos a campanha. Agora não é apenas uma campanha para a causa animal, mas para atender todas as frentes", apontou.

Pâmela também comentou sobre a importância do programa "SOU", que abre cadastro para indivíduos que querem atuar no voluntariado na cidade. O cadastro, feito pela página do Fundo Social no portal da Prefeitura de Mogi das Cruzes (www.pmmc.com.br), registra os interessados, suas aptidões, público com afinidade e disponibilidade de horário. "Tais voluntários passarão a ser convidados com antecedência para atuações do órgão municipal, o que passa a expandir a nossa capacidade", explicou Pâmela.

A coordenadora do Fundo Social de Mogi também fez um breve balanço das ações durante os primeiros oito meses do ano, em que foram arrecadados 33,8 toneladas de alimentos para assistência a famílias em situação de vulnerabilidade, 1,3 mil pacotes de absorventes para a iniciativa "Tia Chica", de combate à pobreza menstrual, e 8,7 mil cobertores para a campanha Inverno Solidário.

"Desde o começo sabíamos que seria um desafio, pois o Fundo Social é para quem mais precisa de ajuda, e Mogi das Cruzes possui uma ampla rede de entidades assistenciais que atuam junto com a população. Nossa equipe vestiu a camisa e trabalhou firme, entregando em média 130 cestas-básicas por dia. O Fundo Social dá lançamento a bons projetos e continua iniciativas de sucesso: a sensação é boa, com uma boa dose de desafio", ponderou.

Para o terceiro quadrimestre do ano, Pâmela afirmou que o Fundo Social vem planejando a retomada dos cursos gratuitos, que foram interrompidos durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), bem como a elaboração da campanha de Natal para a arrecadação de brinquedos e itens diversos. "Os cursos do Fundo Social são totalmente gratuitos. O foco nos primeiros sete meses deste ano foi para o atendimento às famílias afetadas pela pandemia e a crise econômica. Para receber o público da forma correta, precisamos estabelecer a estrutura e os protocolos adequados", ressaltou.

Sobre possíveis ações com os Fundos de Solidariedade de outras cidades da região, nos moldes em que foi realizado entre 2017 e 2020, Pâmela afirmou que a proposta está sendo estudada pela primeira-dama de Mogi das Cruzes.

Deixe uma resposta

Comentários