No Dia Mundial do Turismo, cidade destaca seus atributos

Cidade tem potencial em lazer, cultura e ecoturismo
Cidade tem potencial em lazer, cultura e ecoturismo - FOTO: Divulgação/PMMC

Mogi- O Dia Mundial do Turismo foi celebrado ontem. Mogi das Cruzes vem se destacando no segmento, com o parque industrial e comércio mais desenvolvidos da região, o que favorece consideravelmente o turismo de negócios, responsável por movimentar boa parte da rede hoteleira local. A proximidade com a maior cidade do hemisfério sul e maior polo de turismo emissivo do Brasil, São Paulo, somada à história, recursos naturais e diversidade econômica fazem de Mogi das Cruzes uma cidade de potencial turístico também nos segmentos de lazer, cultura, ecoturismo e turismo rural.

Com um clima subtropical e mais de 65% de área de preservação ambiental, Mogi vem se destacando nas atividades de ecoturismo e turismo de aventura, como visto nos parques da cidade e na Pedreira de Sabaúna, por exemplo.

A agricultura de Mogi ganha destaque no Estado e país pela grande diversidade e qualidade. Além de frutas, como caqui e nêspera, a cidade é a maior produtora de orquídeas e cogumelos comestíveis. Desta forma, o turismo rural tem força na cidade e está representado por cerca de 20 atrativos de turismo rural que exploram as práticas de "colha e pague", "day use" e oferecem alimentação e hospedagem.

A cidade destaca-se também em rotas intermunicipais, como o Caminho do Sal e Rota da Luz. O Caminho do Sal é uma rota ecoturística que conecta as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e Mogi das Cruzes, localizadas na região metropolitana de São Paulo. A soma de todo o percurso resulta em cerca de 50 quilômetros de muita aventura e belas paisagens em meio à Mata Atlântica. Composto principalmente por estradas de terra e cascalho, o caminho permite a prática de mountain bike, cicloturismo, caminhadas de longa distância, corrida rústica ou de montanha e cavalgada.

Já a Rota da Luz tem como proposta ser uma jornada de fé, reflexão, contemplação e meditação. Seu trajeto foi concebido para garantir o bem-estar e a segurança dos peregrinos, que antes realizavam suas caminhadas até Aparecida pelo acostamento da Rodovia Presidente Dutra (Rodovia de grande movimentação ao qual os caminhantes se submetiam a risco de acidentes).

O Centro Histórico de Mogi possui um complexo histórico e arquitetônico do século XVII, as Igrejas do Carmo, além de museus espalhados pelo município repletos de conhecimentos históricos e artísticos, como o Museu Mogiano, Museu Virtual da Educação e Pinacoteca de Mogi das Cruzes. Riquezas e variedade cultural não faltam na cidade, estes enriquecidos por eventos tradicionais, como a Festa do Divino Espírito Santo mais antiga do Brasil, os festivais Furusato Matsuri eAkimatsuri, que celebram a cultura japonesa, entre outros.

Mogi das Cruzes tornou-se Município de Interesse Turístico do Estado de São Paulo em 2017, o que qualifica a cidade para receber recursos do Departamento de Apoio às Estâncias e Municípios de Interesse Turístico - Dadetur, cujo objetivo é promover o desenvolvimento de programas de melhoria e preservação ambiental, urbanização, serviços e equipamentos turísticos.

Anualmente, a Coordenadoria de Turismo pode captar até R$ 600 mil para investimento em projetos de infraestrutura. Até o momento, já foram captados R$ 1.375.701,98 para reformas de atrativos turísticos públicos, tais como a Estação Ferroviária de Sabaúna e os museus municipais. Também estão em fase de construção as pistas de pumptrack dos Parques Leon Feffer e BotyraCamorim Gatti.

Neste ano, a Coordenadoria de Turismo inscreveu um projeto de sinalização turística, que contemplará 28 trilhas para caminhada e cicloturismo em diversos distritos da cidade.