Exceção necessária

O conceito de desenvolvimento econômico por meio do investimento em educação como ponto de partida para a inovação já foi testado e provado ao longo de nossa história como civilização - desde a Era Dourada dos califados árabes e suas "Casas do Conhecimento" aos saltos tecnológicos dos países europeus e asiáticos no período pós-Segunda Guerra Mundial, os exemplos empilham-se nas universidades e plataformas de governo.

No entanto, no Brasil ainda se considera um "ponto fora da curva" quando o investimento na educação de qualidade se torna aparente, como ocorrido nesta sexta-feira em Mogi das Cruzes, com a inauguração oficial de uma nova escola do Sistema Social da Indústria (Sesi-SP) e do FabLab Escola. As imagens de prédios com laboratórios para atividades da grade de ensino e para atividades extracurriculares nunca deixam de impressionar - não por apresentar "coisas de primeiro mundo", mas por mostrar que estes investimentos podem estar ao nosso alcance, meros mortais de um país em eterno desenvolvimento.

A situação do ensino público, em especial no Estado de São Paulo, ainda segue o mesmo noticiário por décadas - dos cortes, das dificuldades dos profissionais, da falta de infraestrutura do Ensino Fundamental à graduação. Com a somatória das notícias nos últimos anos de redução nas bolsas de estudo para pesquisa acadêmica e a "fuga de cérebros" pela falta de investimento e reconhecimento no valor do ensino público de qualidade, fazem notícias como a criação de escolas de alto desempenho não apenas uma tábua de salvação para a educação no Brasil, mas atestam a falta de compromisso da Federação e de Estados na condução das políticas públicas voltadas ao ensino e à preparação das futuras gerações.

O mundo chegou ao ponto em que as mentes da atual geração precisam pensar soluções para nos salvar de nós mesmos, dos impactos ambientais e civilizatórios, que nós mesmos criamos. E em uma grande parcela de um Brasil que ainda acredita que Paulo Freire é um subversivo ao invés de um proponente, escolas como a do Sesi que foi inaugurada nesta sexta-feira, infelizmente, seguem sendo exceções. Necessárias exceções para que nos salvem de nossa mediocridade.

Deixe uma resposta

Comentários