Liminar suspende pagamento de R$ 4,5 milhões à Receita

Marcos Favaro alegou que a cobrança é ilegal
Marcos Favaro alegou que a cobrança é ilegal - FOTO: Rodrigo Nagafuti/Secom Poá

Poá - A Prefeitura garantiu a suspensão de cobrança ilegal no valor de R$ 4,5 milhões feita pela União. A liminar junto à Justiça Federal suspendeu a cobrança do valor ontem. A administração municipal havia sido notificada pela Receita Federal para realizar o pagamento no prazo de 30 dias, que segundo o órgão, seriam devidos à União. A cobrança diz respeito ao Imposto de Renda (IR) incidente sobre os valores pagos aos fornecedores do município.

Segundo o Secretário de Assuntos Jurídicos de Poá, Marcos Favaro, a cobrança é ilegal, pois tais valores pertencem ao município, conforme estabelece a Constituição Federal. A Procuradoria do município, após tomar conhecimento da cobrança, ajuizou mandado de segurança com a finalidade de suspender liminarmente a cobrança, e ao final, anular a dívida.

"A Justiça Federal, por meio da 11ª Vara da Capital, concordou com as razões do município e deferiu a liminar requerida pela Procuradoria. A União será intimada da decisão nos próximos dias", explicou o chefe da Pasta.

A Prefeita Marcia Bin (PSDB) recebeu a notícia com satisfação. "Essa conquista evita que a cidade tenha que arcar com o pagamento desta elevada quantia, permitindo que a receita municipal continue sendo destinada ao atendimento das necessidades da população poaense", ressaltou a chefe do Executivo.

Ainda, segundo a Procuradoria Municipal, a decisão evita que o município, no caso de não pagamento da dívida, fosse inscrito em cadastros de inadimplentes, o que poderia impossibilitar o recebimento de repasses ou emendas, dificultando ainda mais o cenário de crise experimentado pela Administração Municipal.