Sete em cada dez brasileiros devem comprar na Black Friday

Mogi- Novembro chegou e com ele uma das datas mais aguardadas pelo comércio e consumidores. É a Black Friday, uma tradição que nasceu nos Estados Unidos, e tem ganhado cada vez mais espaço no calendário do varejo brasileiro. Uma pesquisa realizada pela Méliuz, startup de cashbacks, aponta que 71% dos brasileiros pretendem fazer compras na data. Para a Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) a Black Friday, que neste ano, acontece no dia 26, ajuda o comércio a medir como serão as vendas de Natal.

A pesquisa, que ouviu quase 800 pessoas em todo Brasil, mostrou que 28,2% dos entrevistados pretendem fazer compras tanto em lojas físicas quanto virtuais. As vendas não devem ficar concentradas apenas na sexta-feira, mas ao longo de toda a semana, além dos dias que antecedem a data.

Segundo a presidente da ACMC, Fádua Sleiman, a Black Friday é um termômetro para medir as vendas e aumentar o fluxo no comércio. "Muitas pessoas aproveitam a data para antecipar as compras de fim de ano e é uma oportunidade para os comerciantes escoarem os produtos que estão no estoque", afirmou.

A Black Friday, tradicionalmente, é procurada para adquirir produtos eletrônicos e neste ano não será diferente. Os eletrodomésticos e eletroportáteis devem estar na lista de desejo de 49,6% dos brasileiros, seguido por acessórios e calçados, além de eletrônicos e informática, que dividem 31,7% das intenções de compras.

A pesquisa revelou ainda que para 63,9% das pessoas a principal motivação para adquirir os produtos na Black Friday é comprar um item de desejo. Substituir itens antigos por novos ou de outros modelos, vai fazer com 29,9% dos brasileiros comprem na data. Para a maioria dos entrevistados, o menor preço ainda é o fator decisivo no momento de compra.

"A Black Friday tem se consolidado como uma das principais datas para o comércio. Os clientes buscam descontos, promoções e facilidades de pagamento. Os comerciantes que oferecem essas vantagens saem na frente. Apostar em vários meios de vendas, especialmente online e pelas redes sociais, também é um diferencial", ressaltou Fádua.