Membros para a gestão do ComMulher tomam posse

Além do poder público, o ComMulher conta com membros e entidades da sociedade civil
Além do poder público, o ComMulher conta com membros e entidades da sociedade civil - FOTO: Pedro Chavedar/PMMC

Mogi- Nesta segunda-feira (22/11), tomaram posse no auditório da Prefeitura de Mogi das Cruzes os membros para a gestão 2021/2023 do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (ComMulher). O órgão tem como atribuição formular diretrizes, programas e políticas públicas relacionadas à promoção da melhoria das condições de vida das mulheres e à eliminação de todas as formas de discriminação e violência contra as mesmas, assegurando-lhes plena participação e igualdade nos planos político, econômico, social, cultural e jurídico.

A posse contou com a presença da vice-prefeita, Priscila Yamagami Kähler, que falou sobre a relevância do colegiado e também da união entre todos os membros. "Esta é uma pauta muito necessária e é preciso que a gente esteja unida de e que cooperação seja nossa palavra de ordem. Temos aqui uma força muito grande, então só desejo que possamos ser verdadeiramente empáticas e, com isso, seja possível desenvolver uma excelente gestão".

A secretária municipal de Assistência Social, Celeste Gomes, também participou da posse e lembrou do processo que culminou com a criação do Conselho. "O conselho é fruto de muita luta e é um órgão muito atuante na cidade. Este é um momento muito importante, então agradeço a todos que já fizeram parte desse grupo e desejo muito sucesso a essa nova gestão que agora se inicia" pontuou, lembrando ainda que as mulheres trans também são e estão representadas pelo ComMulher.

Além de representantes do poder público, por meio de diversas Secretarias, o ComMulher conta com membros e entidades da sociedade civil, tais como Universidade Braz Cubas, ONG Makaúba, Associação Afro-brasileira Dandara, o Promotoras Legais Populares, Associação Fórum Mogiano LGBT, a Unegro, o Coletivo de Mulheres e Gênero de Mogi das Cruzes Impacto Feminista, a Apeoesp, o SindSaúde-SP e o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo.