Junho Violeta

Denúncias de violência contra o idoso aumentam em Mogi

Presidente do Conselho Municipal, Juraci Fernandes Almeida, destaca problemas enfrentados pela população idosa

Katia Brito
15/06/2022 às 06:00
Atualizada em 15/06/2022 às 13:55.
Vitoria Mikaelli/Mogi News

Juraci destaca problemas de atendimento ao idoso - FOTO: Vitoria Mikaelli/Mogi News

A violência começa quando idoso perde autonomia, como bem define a presidente do Conselho Municipal do Idoso (CMI) de Mogi das Cruzes, Juraci Fernandes Almeida. Hoje, dia 15 de junho, é o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, que dá origem à campanha Junho Violeta. "A luta tem que ser no sentido de preservar a autonomia. Houve um aumento de denúncias ao Conselho de maus-tratos, negligência, são mais idosos abandonados, em condições financeiras e físicas precárias", destaca. Denúncias de situações de violência podem ser feitas pelo telefone 4798-4716 ou pelo Disque 100. 

Juraci conta que há na cidade aproximadamente 64 mil idosos, e questiona o que tem sido feito para atingir os objetivos do marco do Envelhecimento Ativo, da Organização Mundial de Saúde (OMS), que prevê a otimização de oportunidades de saúde, participação social e segurança para melhoria da qualidade de vida no envelhecer. Para ela, equipamentos como o Pró-Hiper, que tem cerca de 1.200 idosos cadastrados nas atividades, e tem hoje o espaço dividido com a saúde devido à vacinação contra a Covid-19, precisam ser aperfeiçoados e ampliados.

"É um espetáculo de equipamento que pode fazer a diferença, mas quase foi encerrado e hoje funciona de forma precária. Idosos de baixa renda precisam ter acesso, para isso o projeto precisa ser ampliado, existir nos territórios para que se envelheça com a atividade, o que é fundamental para não perder a autonomia", ressalta Juraci.

Outra questão é o acesso às instituições de longa permanência para idosos, como são conhecidos os asilos. Juraci afirma que o número de vagas foi reduzido, nos últimos anos, de 165 para 107, enquanto a população da cidade aumenta e há uma fila de espera em torno de 50 idosos. "Chamo de lista da morte, porque a maioria só sai da lista quando morrem, e é uma lista que não é verdadeira. São os nomes que chegam e aqueles que não conseguem acessar equipamentos de assistência social?", ressalta.

O edital aberto recentemente, de acordo com a presidente do Conselho, para aumento de 12 vagas nas instituições da cidade não teve interessados, devido ao baixo valor da subvenção. Para ela, uma solução para atender a fila de espera seria criar mais unidades do Centro Dia, espaço em que o idoso fica durante o dia com os devidos cuidados. A cidade conta com apenas um equipamento público deste tipo.

A presidente do Conselho chama atenção para questões no atendimento de pessoas acamadas, que, para ela, precisaria contar com mais equipes; as Academias da Terceira Idade, também, segundo ela, deveriam ter mais profissionais de educação física; e a suspensão dos Serviços de Convivência, que ainda não retomaram as atividades, entre outros pontos, como as práticas de instituições financeiras que fazem empréstimos sem o conhecimento do idoso.

"Todas essas coisas precisam ser lembradas nesse dia. As famílias de baixa renda precisam de suporte da assistência social para poder cuidar do idoso dentro da família. A instituicionalização deve ser em último caso. Afastar da família não é o ideal, e sim o Centro Dia, onde o idoso continua no seio da família", destaca Juraci, que também ressalta a importância da educação continuada para profissionais da saúde e cuidadores de idosos formais e informais.

Quem Somos

Fundado por Paschoal Thomeu – circulou em 22 de novembro de 1975. Em 1992, o administrador de empresas e publicitário Sidney Antonio de Moraes adquiriu a marca e relançou o jornal em 27 de outubro. O projeto foi ganhando força e, em 23 de abril de 1997, o jornal, até então preto-e-branco e veiculado apenas uma vez por semana, passou a circular colorido e bissemanalmente. Em 18 de maio do mesmo ano, a circulação foi ampliada para trissemanal e, finalmente, em 21 de junho de 1997 concretizou-se o lançamento do Mogi News diário. São inúmeras ações que, aliadas à qualidade editorial e gráfica, consagram o Mogi News como o jornal mais lido e respeitado do Alto Tietê

Entre em contato:

(11) 4735-8000
[email protected]
[email protected]
[email protected]

Av: Japão, 46 - sala 06 - Vila Ipiranga - Centro - Mogi das Cruzes

© 2022 Todos Os Direitos Reservados Ao Portal News