Técnico do Santos tenta encontrar o jogo ideal

Técnico fez experimentos contra o Deportivo Lara
Técnico fez experimentos contra o Deportivo Lara - FOTO: Ivan Storti/Santos FC

Dificilmente Ariel Holan poderia ter um início de trabalho à frente do Santos com jogos de tanto peso Afinal, após começar a sua trajetória em um clássico - a derrota por 4 a 0 para o São Paulo, no sábado - já precisou encarar um primeiro jogo de mata-mata pela Copa Libertadores - o triunfo por 2 a 1 sobre o Deportivo Lara, na terça-feira.

E tudo isso em meio a perdas no elenco, proibição de contratar, desfalques e aposta em jovens. Não à toa, Holan modificou quase meio time - 5 dos 11 titulares - entre um compromisso e outro. E deixou claro que a principal preocupação neste início de trabalho é encontrar um sistema de jogo.

"O rival se posicionou com cinco defensores. Colocamos quatro atacantes, mas pedimos para Sandry e Pirani ocuparem as costas dos meio-campistas rivais. Fizemos bem em alguns momentos, em outros, não. Em poucos dias a equipe busca um sistema de jogo. Buscaremos que esse sistema seja o mais eficaz no menor tempo possível. Com muitos jovens", disse Holan, comentando o desempenho da equipe no jogo de ida da segunda fase preliminar da Libertadores.

Diante do Deportivo Lara, Holan escalou o Santos com cinco mudanças. Trocou John por João Paulo, em um rodízio no gol que marcou a passagem de Cuca pela Vila Belmiro, improvisou Vinicius Balieiro na lateral direita, ao invés de usar Sandro, deu chance a Kaiky na zaga, no lugar de Luiz Felipe, e apostou em Marcos Leonardo e Ângelo no ataque, sacando Jean Mota e Bruno Marques.

Os testes de Holan devem prosseguir, afinal, alguns titulares devem ficar à disposição do treinador, que pode rodar o elenco no sábado, diante do Ituano, na Vila Belmiro, antes do duelo decisivo com o Deportivo Lara, na terça-feira, na Venezuela. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários