Bomba é detonada contra um ônibus oficial no Afeganistão

Atentado ocorre justamente no dia em que se discute a redução da violência no país
Atentado ocorre justamente no dia em que se discute a redução da violência no país - FOTO: Kandaray/Wikimedia

Pelo menos quatro oficiais morreram e outros nove ficaram feridos depois que uma bomba foi detonada contra um ônibus oficial em Cabul, no Afeganistão, nesta quinta-feira, dia 18. O atentado acontece no dia em que o governo afegão, o Taleban e outras nações, incluindo Estados Unidos e Rússia, se reúnem em Moscou para pressionar por uma redução da violência e impulsionar o processo de paz no país asiático.

A explosão ocorreu por volta das 7h20 (23h50 de quarta-feira pelo horário de Brasília) no norte da capital afegã, quando o veículo transportava os funcionários para seus empregos, disse à agência de notícias EFE o porta-voz da polícia local, Firdaws Faramarz.

"Quatro pessoas morreram nesta explosão, incluindo uma mulher, e outras nove ficaram feridas", explicou o porta-voz, acrescentando que os feridos já foram hospitalizados.

O ônibus foi alugado para transportar funcionários do Ministério de Telecomunicações e Tecnologia, embora também houvesse pessoas de outros órgãos do governo no coletivo, de acordo com Abdul Samad Hamid Poya, um conselheiro do ministério. Nenhum grupo armado assumiu a responsabilidade pelo ataque até agora.

Este é o segundo ataque a um ônibus do governo afegão nesta semana em Cabul, depois que outra explosão matou cinco pessoas e feriu outras 13 na segunda-feira, 15.

Além disso, na terça-feira, 16, um estudante e o motorista de um ônibus universitário foram mortos e seis professores ficaram feridos em um ataque ao veículo, que carregava o logotipo da escola, na província de Baghlan.

O Ministério da Defesa do Afeganistão também informou nesta quinta que nove militares morreram em um acidente de helicóptero na província central de Maidan Wardak. O órgão afirmou que está investigando o caso. Duas fontes disseram à agência Reuters que a aeronave foi atingida por um foguete durante a decolagem. Não ficou claro quem disparou o projétil e não houve reivindicações de responsabilidade.

Uma fonte da força aérea disse que o helicóptero estava em uma missão de abastecimento que incluía o transporte do corpo de um soldado e de militares feridos.

À agência EFE, um membro do Conselho Provincial da província Sharifullah Hotak garantiu que combatentes da milícia Hazara atacaram o helicóptero. "Quando o helicóptero estava pousando, homens armados do comandante Ali Poor abriram fogo contra a aeronave e a derrubaram, matando cinco membros das forças de segurança e quatro pilotos", disse Hotak.

Esses eventos fazem parte de uma série de ataques direcionados contra civis afegãos em áreas urbanas, que ocorreram principalmente desde a assinatura do acordo histórico em Doha, no Catar. Os ataque ainda serão investigados pelas autoridades até a descoberta de quem está por trás.