Patrick de Paula é multado por ida a festa clandestina

A diretoria do Palmeiras anunciou que vai multar o volante Patrick de Paula em 40% do salário por ter sido flagrado por torcedores em uma festa clandestina na madrugada desta segunda-feira, no Tatuapé, zona leste de São Paulo. Medida igual já tinha sido tomada na semana passada com o meia Lucas Lima pelo mesmo motivo.

O Palmeiras soltou um comunicado oficial nas redes sociais no qual lamenta a postura do volante e trata como "inadmissível" a quebra do protocolo sanitário contra a Covid-19. A nota ainda fala em "falta de empatia". No último sábado, o Brasil ultrapassou a marca de 500 mil mortos pela doença.

"Lamentavelmente, o Palmeiras se deparou com um novo caso de quebra de protocolo sanitário por parte de um de seus atletas. Desta vez o episódio envolveu Patrick de Paula. Da mesma forma com que tratou a situação envolvendo Lucas Lima, o clube aplicará as sanções administrativas máximas determinadas pelo seu regulamento. Ambos os atletas ficam afastados dos treinamentos até determinação do Departamento de Futebol", informou o clube.

"Lamentamos que casos de falta de empatia e de responsabilidade ainda ocorram em um momento tão difícil para a sociedade. São atitudes inadmissíveis e que receberão o devido tratamento", finalizou o Palmeiras.

O incidente foi filmado e divulgado nas redes sociais. Diferentemente de Lucas Limas, o volante estava de máscara quando foi cercado pelos torcedores. Patrick de Paula conseguiu deixar o local com ajuda de seguranças. "Você joga no Palmeiras, está de palhaçada?", afirmou um dos torcedores. Apenas alguns no grupo estavam com máscaras.

O jogador não respondeu ao grupo em nenhum momento, inclusive tentou esconder o rosto para não ser identificado, mas, um dos integrantes da torcida organizada, puxou o capuz da blusa do volante.

"Ao verdadeiro torcedor palmeirense, fica meu pedido de desculpas, e a certeza de que sempre foi e será uma honra defender e respeitar esse manto que é a minha segunda pele", disse Patrick de Paula pela assessoria.

Aglomerações do tipo são proibidas no Estado de São Paulo durante a pandemia do coronavírus. Na semana passada, em Assunção, no Paraguai, os jogadores do Palmeiras receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. A imunização foi realizada com doses recebidas pela Conmebol. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários