Tite mantém indefinição sobre goleiro e ataque

Após dois jogos de mata-mata da seleção brasileira na Copa América, Tite mantém a indefinição sobre quem são os titulares de alguns setores do time. A formação do ataque e o goleiro parecem ser as dúvidas do treinador, que admitiu usar a competição como teste para as Eliminatórias da Copa do Mundo.

No gol, Ederson, Alisson e Weverton sonham com a vaga de titular no Mundial. O goleiro do Liverpool começou como titular nesta Copa América, mas o jogador do Manchester City e o do Palmeiras ganharam uma chance cada na fase de grupos. Ederson, contudo, despontou como titular nos dois jogos de mata-mata.

Apesar da rara sequência de dois jogos como titular, Tite nega que o jogador do City tenha conquistado a titularidade. "Temos três grandes e extraordinários goleiros. Ninguém é melhor do que ninguém. Talvez o momento possa ser determinante para a escolha, aí tem o Taffarel e o Marquinhos, que são importantes nesse preparo", disse o treinador, referindo-se ao preparador de goleiros e seu auxiliar.

No ataque, a situação fica mais embolada. E não somente por causa do maior número de opções e formações, ora com Neymar mais recuado, quase como meia, ora com o jogador do Paris Saint-Germain mais avançado, compondo o trio ofensivo.

Se a intenção de Tite era repetir a formação da equipe nas quartas de final e na semifinal, a expulsão de Gabriel Jesus na sexta-feira acabou com seus planos. Assim, precisou mudar o trio, que teve ainda Roberto Firmino e Richarlison contra o Chile, pelas quartas de final. Neymar jogou atrás dos três.

Na semifinal, contra o Peru, Tite escalou Everton Cebolinha, Richarlison e Neymar. Outras opções são Gabriel Barbosa, titular em um dos seis jogos já disputados na Copa América, Vinicius Junior e até Everton Ribeiro.

Gabriel Jesus e Richarlison parecem ainda ter a preferência de Tite para compor o setor com Neymar, tendo agora Lucas Paquetá, autor dos gols da vitória sobre Chile e Peru, logo atrás. O jogador do Lyon é o que mais vem aproveitando as chances dadas pelo treinador na competição.

Na defesa, o quarteto formado pelos laterais Danilo e Renan Lodi e pelos zagueiros Marquinhos e Thiago Silva devem estar garantidos para a final da Copa América. E saem em vantagem diante dos demais na briga por uma vaga na Copa. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários