Distante do fim

Proteção retardada dos grupos prioritários na vacinação contra a Covid-19, maior necessidade de assistência hospitalar e de UTIs, e um gasto abissal ao sistema de saúde. Este é o cenário provável para as próximas semanas em vários pontos do país por conta da falta de doses de vacina em vários municípios, entre eles capitais.

Ontem, Suzano amanheceu sem vacina para ser aplicada. Pela manhã, Poá contava com apenas 60 doses, o que terminou rapidamente. Mogi aguardava reposição para manter a campanha de imunização por mais alguns dias. O risco, não só nas cidades do Alto Tietê, como também em muitas outras cidades, é a paralisação da campanha de vacinação nos próximos dias.

Triste relembrar que, apesar da experiência que o Brasil já adquiriu por décadas em campanhas de vacinação - que resultou na eliminação da poliomielite e no controle de diversas outras doenças infecciosas - essa situação atual já era esperada. Neste momento, a pandemia parece distante do fim, quanto mais tempo se levar para imunizar a população, maior o risco do coronavírus continuar a circular e a se proliferar. No atual ritmo, o país levará, no mínimo, três anos para vacinar a população. É muito tempo e isso impactaria diretamente a imunização coletiva.

A interrupção da campanha em algumas cidades, porém, não significa que o Brasil ficará sem novas entregas em breve. Segundo informações já divulgadas, o Instituto Butantan está produzindo 17,3 milhões de vacinas CoronaVac e deve liberar novos lotes a partir desta terça-feira. A Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), no Rio de Janeiro, estima entregar 1 milhão de doses da CoviShield.

É preciso organizar as prioridades. A vacina foi descoberta com rapidez, mas o plano, que encontrou obstáculos políticos, foi feito tardiamente. Ainda se discute a cloroquina, que já se mostrou ineficaz. De acordo com o Plano de Vacinação, os primeiros grupos assistidos devem ser idosos, pessoas com deficiência, povos indígenas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades e em situação de rua. Esta é só a primeira fase. O caminho ainda é muito é longo.