Ônibus lotado e povo marionete

olavo câmara
olavo câmara - FOTO: divulgação

As cidades estão proibidas de fazer aglomerações em praias, em bares, restaurantes ou nas ruas. Determinaram Lockdown a noite. Mas não analisaram e não socorreram os passageiros de ônibus. Os transportes coletivos (ônibus) estão lotados tanto durante o dia como a noite.

É necessário que as empresas de ônibus disponibilizem uma grande quantidade de veículos para colaborar na prevenção e no combate as aglomerações para ajudar a conter o vírus da pandemia. De um lado agem com autoritarismo e quanto aos passageiros estes estão abandonados e jogados ao "leu". Pobres usuários dos ônibus continuam como marionetes e fantoches sendo manipulados e usados, mas não lhes dão a verdadeira atenção. Depois reclamam que não há vagas nas uti´s dos hospitais, oxigênio e profissionais da saúde para cuidar de todos.

De um lado agem com autoritarismo e de outro como controladores de marionetes. As manipulações são constantes. As cidades da região do Alto Tietê estão no mesmo nível em relação aos transportes coletivos de passageiros. Em Mogi das Cruzes, principalmente as linhas de ônibus do centro para os bairros e vice versa, considerando Braz Cubas, Jardim Universo, Santo Ângelo, Jundiapeba e outras localidades disponibilizar mais veículos coletivos para todos que saem para os compromissos de trabalho. O que é um fantoche? Acaso não é um boneco e que pela mão de uma pessoa oculta o manobra e o faz se tornar um ator manipulado. Os contribuintes recolhem em torno de oitenta tributos para os Municípios, Estados e União e não recebem os retornos que merecem.

É de extrema necessidade que as autoridades tomem providencias imediatamente. Apenas dizer para que fiquem em casa, que não há verba para a saúde e vagas nos hospitais são discursos ridículos. Autoridades tomem providências e aliviem os sofrimentos do povo trabalhador que utilizam os transportes coletivos. Aglomerações em ônibus é um caos.

Olavo Câmara é advogado, professor, mestre e doutor em Direito e Política.