Tarefa difícil

A Secretaria de Esportes de Mogi tem, enfim, seu comandante definido. Ewerton Komatsubara, ex-diretor da equipe Mogi/Basquete, assumiu a Pasta, prometendo atenção aos atletas mogianos e ao esporte e lazer na cidade.

A gestão passada deixou a desejar em demandas antigas e promessas não concluídas. Não que seja uma tarefa fácil, uma vez que na última década, com frases do tipo "Mogi é a cidade do Basquete", os responsáveis pelo setor esportivo se acomodaram em beneficiar esta modalidade muito mais que qualquer outra.

Mogi não é a cidade do basquete unicamente por gosto da população. Sem jogar fora a tradição e a paixão que os amantes do esporte têm por essa modalidade, a vontade do mogiano é ser representado, seja em quadras ou campos. Se houvesse investimento no vôlei, Mogi seria a cidade do vôlei. O mesmo serviria para o futsal ou futebol profissional. Quem já foi ao Estádio Nogueirão acompanhar jogos do União FC bem sabe que a população está aberta a amar qualquer modalidade que bem represente a cidade. Mesmo com os sequentes fiascos do time de futebol da cidade, quem comparece ao Nogueirão torce com amor e orgulho. O que falta é organização e investimento que, consequentemente, trazem bons resultados. Com boa estrutura, Mogi pode passar a ser não só "a cidade do basquete", como a cidade do futebol, ou do futsal ou do judô etc.

O novo secretário de Esportes chega com a promessa de investir no futebol da cidade. São mais de 450 mil habitantes, tamanho e força suficientes para se ter um time razoável para acompanhar aos finais de semana. Komatsubara também promete resgatar promessas não cumpridas, como a criação do bolsa-atleta e a construção de campos de futebol em regiões descentralizadas. Para tal, planeja investir na base e na periferia - pontos fundamentais para o desenvolvimento do esporte, seja voltado ao lazer e formação do cidadão ou alto rendimento.

A tarefa será difícil, principalmente em momento de recessão e pandemia. O que teremos no futuro? Mais do mesmo ou um passo importante na gestão esportiva da cidade? O tempo dirá.