Pátria envergonhada

olavo câmara
olavo câmara - FOTO: divulgação

As tristezas tomaram conta dos patriotas. Há choques e interesses diversos entre os três poderes da nação. O Brasil deixou de ser uma república federativa. Congresso e o STF pensam muito mais nos seus interesses do que na Pátria.

Há muitas autoridades com o "rabo preso" e com medos de serem escandalizadas. A nação está desmoralizada, não bastasse à crise da pandemia. Internacionalmente há um descredito. A justiça deixou de ser justiça não aplicando a constituição e as leis e não respeitando o devido processo legal. Mas, apesar de tudo, a democracia deve prevalecer e não a violência.

Política e políticos sem consciência, autoridades egoístas plantados nos três poderes e o caos tomando conta da nação. O que fazer? Eis os desafios. Muitos jovens dizem: "após passar esta crise irei embora para outro país". O pior é que a Deusa da Justiça chora todos os dias após sondar os corações dos políticos e das autoridades da Justiça. Como é possível um bandido ou corrupto se transformar em herói por força de decisões autoritárias?. Conclusão: "Os maus exemplos vê de cima e o STF não se mostra independente e os seus ministros deveriam se calar e somente dar entrevista ou fazer comentários quando um processo transitasse em julgado definitivamente". Não há com justiça plena! O que acontece nos dias atuais é barbaridade. Quando houver choque entre a lei e a justiça deve prevalecer à justiça, mas estes princípios estão ignorados. No momento que se vive está havendo uma inversão de valores e não está prevalecendo nem a Lei e a Justiça, mas os interesses pessoais e das instituições, sendo que algumas destas instituições apodreceram. Acaso o demônio tomou conta das autoridades? O que fazer para eliminá-lo do Brasil? Somente orar, rezar e amar? Desacreditar na justiça é leva os bons cidadãos ao desânimo. O que sobra neste momento? Algumas instituições religiosas, militares e profissionais da educação. O que deveremos fazer? Ficar em casa e se entregar a Deus rogando por milagres.

Olavo Câmara é advogado, professor mestre e doutor em Direito e Política.