Problemas escancarados

Para tentar sair do buraco em que o país foi enfiado por conta da pandemia da Covid-19, as prefeitura vêm tentando estancar a sangria no comércio e transporte público. Ontem, a região iniciou o sistema drive-thru do comércio, que permite a entrega de produtos no veículo do consumidor. A ideia é boa e um meio termo aos lojistas que, neste momento complicado, precisam ao menos minimizar seus prejuízos. A liberação da cobrança no Zona Azul por tempo determinado também é uma ação pertinente no momento. Soluções para redução da taxa de aluguel e isenção de impostos também vêm sendo estudadas para aliviar os comerciantes. Associações comerciais, Creci e prefeituras discutem estratégias para locações comerciais.

Para reduzir o terror no transporte municipal - um dos principais agravantes para o contágio da Covid-19 -, a Prefeitura de Mogi iniciará, na próxima segunda-feira, a instalação dos equipamentos que permitirão a utilização de câmeras nos ônibus para o monitoramento da ocupação de passageiro. A preocupação com a lotação em ônibus e trens, inclusive, deveria ser a maior pelas prefeituras e pelo Estado. O assunto precisa ser discutido todos os dias, até que se encontre uma solução ao menos razoável. O governo do Estado sugeriu o escalonamento do horário de entrada de funcionários - na indústria, das 5 às 7 horas, no comércio, das 9 às 11 horas, e, no setor de serviços, das 7 às 9 horas, para evitar aglomerações. Só não orientaram como proceder com a fiscalização.

Em meio a esse pandemônio, o mais grave é a falta de celeridade para a distribuição das vacinas, o que precisa ser resolvida rapidamente. É raso afirmar que a pandemia piorou a situação do país, quando na verdade, ela simplesmente escancarou o que já não funciona há tempos. Muito já se ouviu de governantes que o brasileiro não gosta de vacina. Agora, porém, é tudo que ele mais quer, e o imunizante já está nos palanques. O mesmo ocorre com as mudanças de estratégias em relação ao fechamento do comércio, assunto ora tratado por determinado político como necessário, ora criticado.

A situação, infelizmente (e como não deveria deixar de ser), virou manobra política.