Tribuna

Calamidade pública em Itaquá

O prefeito de Itaquaquecetuba, Eduardo Boigues (PP) assinou, ontem, o decreto 7.927, que coloca o município em Estado de Calamidade Pública na área da Saúde. A medida foi adotada em razão da atual situação da pandemia e crise causada pelo coronavírus. Em meio ao avanço da Covid-19 e a atual situação médica-hospitalar. Todas as despesas geradas serão supridas com verbas do próprio orçamento.

Socorro de animais

A Câmara e Suzano aprovou ontem o Projeto de Lei 004/2021 de autoria do vereador Marcel Pereira ds Silva (PTB), o Marcel da ONG, que fala sobre a obrigatoriedade da prestação de socorro aos animais atropelados por condutores no âmbito municipal.

Sepultamentos I

Os três cemitérios de Itaquaquecetuba localizados no Jardim São Paulo, Vila Virgínia e no centro têm 900 covas disponíveis que podem ser utilizadas caso seja necessário. No entanto, a Prefeitura ressaltou, ontem, que os sepultamentos são realizados na medida em que ocorrem as exumações, isso significa que essas 900 covas continuarão disponíveis. No mês de junho do ano anterior ocoerreu a maior quantidade de sepultamentos: 180. Já neste mês, 98 enterros aconteceram até anteontem.

Sepultamentos II

No município de Poá, até a manhã de ontem, havia 24 covas disponíveis, segundo informações da Prefeitura. Janeiro deste ano foi o mês com mais covas disponíveis (50) e neste mês chegou a ter apenas uma cova disponível. Com as exumações feitas e a abertura de dez novas sepulturas, restam 24 desocupadas. A administração municipal não possui os números referentes ao ano anterior.

Sepultamentos III

Já em Mogi das Cruzes, 600 sepulturas construídas no ano passado estão vagas e, atualmente 240 sepultamentos ocorrem mensalmente no Cemitério da Saudade, em Braz Cubas. Neste caso, para o vereador Pedro Komura (PSDB), caso não sejam tomadas novas medidas nos cemitérios, o colapso do sistema funerário poderá ocorrer nos próximos meses.