Fiscalização reforçada

Com a importância de um efetivo trabalho de fiscalização para inibir festas clandestinas e demais aglomerações, a criação de um Comitê de Blitze, pelo governo do Estado, precisa se mostrar eficaz, embora o trabalho seja árduo e difícil. As fiscalizações nas cidades do Alto Tietê já começaram a ser intensificadas. Talvez assim, com as forças policiais, o resultado seja melhor do que somente contando com a Guarda Municipal, Fiscalização de Posturas e Vigilância Sanitária.

A ação se faz necessária porque já está provado que parte da população não se importa com fase amarela, laranja, vermelha, emergencial, toque de recolher ou lockdown. Para muitos, os números não assustam e chegar a quase 3 mil mortes em um dia parece não ter tanta importância. Apenas no primeiro dia da Fase Emergencial do Plano São Paulo, na segunda-feira passada, foram registradas 74 notificações e dez autuações a estabelecimentos que descumpriram as regras das novas restrições nas cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - Mogi, Suzano Itaquá, Ferraz e Poá.

Em reunião realizada na terça-feira, prefeitos da região e chefes de policiamento do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 7 (CPA/M-7) e CPAM-12 discutiram o reforço do apoio da PM na fiscalização, bem como ao toque recolher, com vigência até dia 30. Agora, espera-se que essa união de forças consiga efetivar medidas rígidas de fiscalização, sem vista grossa, muitas vezes observada durante esta pandemia. O novo sistema de drive-thru dos comerciantes também merece fiscalização rígida, caso contrário, corre-se o risco de as regras impostas sejam quebradas.

A setor de fiscalização tem de fazer sua parte e a população a dela. Conforme publicado pelos jornais Mogi News e Dat, ontem, o fluxo de passageiros transportados nos ônibus municipais em Mogi das Cruzes cresceu 3,6% no último final de semana, em comparação ao final de semana retrasado, quando quase 50 mil pessoas fizeram uso dos veículos. De nada adianta aplaudir ou apontar o dedo para o poder público se não tomarmos os cuidados mínimos.