Saúde Funcional

luiz
luiz - FOTO: divulgação

Realizar uma cirurgia é algo que muitos não querem, mas existem também aqueles que são adeptos ao bisturi a qualquer custo em busca da beleza e perfeição do corpo desejado. Seja qual for o procedimento cirúrgico pode ocorrer a indesejada fibrose tecidual do pós-operatório que constitui um processo normal.

A formação da fibrose, por exemplo, faz parte do processo de cicatrização do organismo. A fibrose é o aumento de fibras no tecido da pele, ou seja, a formação de um tecido "a mais" no local que houve o corte. É a cicatriz para o lado de dentro do corpo. Quanto maior e mais profundo tiver sido o corte, maior a probabilidade de a fibrose ter alguma consequência em algum órgão, músculos ou parte do corpo.

Com o passar do tempo, a fibrose vai diminuindo e a região vai ficando mais maleável. Em alguns casos, no entanto, pode acontecer um processo de cicatrização irregular com formação de fibrose subcutânea persistente, com nódulos, depressões, assimetrias e retrações da pele.

Fibrose tem tratamento, independentemente do tempo. No entanto, quanto antes ela for tratada, mais fácil será o processo. Os tratamentos usados pela fisioterapia podem envolver aparelhos como laser e ultrassom, além de técnicas de liberação cicatrial manual e miofasciais. Tecnologias como a radiofrequência e o ultrassom melhoram a mobilidade do tecido da cicatriz, diminuindo ondulações. Esses dois procedimentos promovem mais circulação sanguínea e linfática, por isso, é importante realizar uma boa avalição no paciente e saber os motivos que levaram a fazer a cirurgia, se foi decorrente de uma enfermidade, trauma ou estética, em cada caso a conduta pode variar.

Outro bom mecanismo para soltar a fibrose é a liberação miofascial manual, instrumental e "crochetagem", um gancho que simula o formato do dedo e pode atingir áreas mais profundas, quebrando a fibrose de forma mais eficaz. Todos os procedimentos devem ser orientados por um profissional responsável.

Doutor Luiz Felipe Da Guarda é
fisioterapeuta e presidente do
Lions Clube Mogi das Cruzes.