Ônibus e informação

Reportagem veiculada na quinta-feira pelos jornais Mogi News e Dat mostrou que a quantidade de usuários nos ônibus municipais vem crescendo. Em Poá, por exemplo, a diferença entre uma semana e outra foi superior a 40%. Outras cidades, como Mogi das Cruzes e Suzano, também observaram aumento de passageiros no transporte municipal, no entanto, abaixo do que mostrou Poá no meio de semana.

O aumento de pessoas utilizando os ônibus pode ter uma explicação simples: com o fim da fase emergencial e o retorno da fase vermelha, outros tipos de estabelecimentos puderam voltar a funcionar, como as casas de material de construção, e este contingente de usuários voltou ao trabalho.

Tem sido, durante toda a pandemia de coronavírus (Covid-19), um verdadeiro desafio manter as pessoas em casa, e, neste estágio da doença, é bem provável que isso nunca ocorra de forma massiva, ainda mais porque o Brasil carece hoje de um governo que realmente queira fazer algo em sincronia, com o objetivo de minimizar os estragos da doença, então, manter o povo em confinamento, parece que só dá certo se houver um prêmio em dinheiro e passar na televisão. Ficar em casa para garantir a saúde não é tão sedutor.

Posto isso, é preciso intensificar ou criar mecanismos dentro dos ônibus para que os usuários tenham conhecimento dos perigos da Covid-19. Antes, a doença acometia e vitimava os mais velhos, agora o vírus não "escolhe" quem vai atacar e qual será o fim da contaminação. O transporte público costuma ser um dos locais onde os trabalhadores passam a maior parte do tempo, ainda mais no Alto Tietê, em que as cidades são interligadas e estão ao lado de São Paulo, local onde muito moradores da região trabalham e estudam.

Ainda nos falta informações sobre o desenvolvimento do coronavírus, um desafio que os cientistas terão de quebrar a cabeça para conseguir vencer, até mesmo para a criação de um remédio eficaz, todavia já temos um conhecimento de como evitar a doença. Se tentar manter a população dentro de casa mostrou ter o mesmo efeito do que dar murro em ponta de faca, talvez bombardear com informação seja o melhor remédio.