Liberdade com responsabilidade

Chegou o momento em que a pressão para a reabertura das atividades comerciais falou mais alto do que a planilha do governo estadual de São Paulo. As medidas mais restritivas impostas há algumas semanas, com a Fase Crítica do Plano São Paulo de Retomada Econômica, trouxeram resultados práticos, como redução de mortes e internados. No final de semana passado, porém, bares, restaurantes e academias reabriram, com restrições.

A situação dos empreendedores é complicada, principalmente dos informais, por isso, a cúpula do governo João Doria (PSDB) se viu obrigada a recuar. Mas, não será essa pequena queda de mortos e infectados nos últimos dias que colocará a pandemia de escanteio, pelo contrário, os cuidados devem ser ainda maiores agora, pois o sobe e desce na taxa de internação ainda é grande em um período curto.

Ontem, se estabeleceu a retomada gradativa dos cursos de ensino superior, técnicos, profissionalizantes e livres, com capacidade permitida de 35% do número de alunos. Aulas e atividades presenciais dos cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Nutrição, Psicologia, Obstetrícia, Gerontologia e Biomedicina poderão ser retomadas com a presença de até 100% do número de alunos matriculados.

E o que leva a crer que precisamos ter ainda mais consciência neste momento é um estudo realizado na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, indicando que os locais com maior chance de transmissão do coronavírus são restaurantes, bares e academias. Ou seja, a liberdade vai exigir ainda mais responsabilidade.

Ontem, o médico Zeno Morrone Júnior assumiu a Secretaria Municipal de Saúde em Mogi, no lugar do doutor Henrique Naufel. Se no ano passado Naufel assumiu a Pasta em momento delicado, no início da pandemia, agora, a situação de Morrone não é das mais propícias.

O cenário é crítico e exige foco, principalmente quando se entra em uma batalha que já começou. A população também não pode relaxar e cair em ilusão. Apesar da aparente melhora nos últimos dias, a Covid-19 segue ceifando lares de forma impiedosa.