Ilusões e mentiras

Olavo Câmara
Olavo Câmara - FOTO: divulgação

Há momentos de aflições que envolvem a todas as pessoas equilibradas. Por outro lado, existem pessoas que iludem as outras com palavras misteriosas e desconhecidas popularmente. São tipos desprezíveis, mas um dia estes "sabichões serão desmascarados". É chegado o tempo e a sociedade saberá que vagabundos, impostores, psicopatas e criminosos de todos os tipos receberão o pagamento que merecem.

Iludir o povo é muito fácil, tudo por interesses pessoais e loucura por controle. A sociedade está desiludida e grande parte dos brasileiros passa por aflições devido à crise que se atravessa: milhões de desempregados, falta de vagas em hospitais, crianças presas em casa e aulas virtuais, os idosos sob controle e isolados em seus lares como se estivessem em uma gruta, violência que cresce em todo o país e o grande risco do Brasil ser invadido por países vizinhos sendo auxiliados por nações europeias e asiáticas.

Há muitos brasileiros pedindo intervenção das forças armadas. Mas caso acontecesse uma intervenção dos militares, de acordo com o artigo 142 da Constituição Federal, se um dos poderes desobedecer ou conflitar com outro poder, poderão as três forças militares intervir para repor a lei e a ordem.

Está havendo conflitos entres os poderes Judiciário, Executivo e Legislativo. O STF, neste caso, não é a última instância. Mas, há risco, pois o presidente da República pode ser também deposto e nova eleição para o cargo será convocada. O ideal seria que os três poderes se unissem visando o desenvolvimento da nação, mas não é o que acontece.

Enquanto cada indivíduo dos três poderes olhar para si mesmo, ou seja, analisar somente as suas árvores e não a floresta, a nação não progredirá. É impossível continuar com as invasões de competência de um poder sobre o outro. Cada poder deve ficar nos seus limites. Entretanto, o Brasil caminha para o caos na política. É o pior momento já vivido na história desta grande nação que, devido às mentes estreitas e egoístas, leva o país à pequenez e se desmoraliza para o mundo.