União e empatia

É válida, em momento crítico, a ajuda de custo que a Prefeitura de Mogi oferece a microempreendedores e população mais vulnerável. Em dois dias, R$ 848 mil em créditos do Auxílio Emergencial foram liberados aos inscritos no CadUnico. Por enquanto, mais de 8,5 mil pedidos de créditos foram realizados. Cada crédito tem um valor de R$ 100, com o objetivo de minimizar os impactos causados pela pandemia do coronavírus.

Já em relação ao Auxílio Empresarial, foram 21 confirmações, até ontem, o que corresponde a cerca de R$ 21 mil. No total, 475 empresas já se cadastraram para receber o benefício que irá ajudar neste período de perdas financeiras. Os repasses continuam nesta semana e o auxílio consiste no pagamento, por dois meses, de
R$ 300, por empregado registrado.

Em paralelo a isso, na Saúde, a taxa de ocupação é de 72% na UTI e 68,1% na Enfermaria, taxas inferiores à média registrada na Grande São Paulo. Neste espaço, o Mogi News chama a atenção da população, insistentemente, para que sigam as medidas restritivas contra a Covid-19 e, ao passo em que sempre haverá aqueles que as ignorem, grande parte está disposta a fazer sacrifícios momentâneos para conter a Covid-19. Além da campanha de vacinação contra a doença, essa redução na taxa de ocupação de leitos é mérito das autoridades, mas, principalmente, da população.

Quando se fala em pandemia, porém, se faz necessário olhar para o lado, às cidades vizinhas, e ter empatia, o que significa não relaxar. Se por um lado, Mogi começa a trilhar um bom caminho, a ocupação média de leitos para pacientes nos municípios do Alto Tietê ainda está acima da registrada na Grande São Paulo. A região tem um hospital de campanha recém-inaugurado, em Itaquaquecetuba, que ainda trabalha com folga. É preciso justificar sua construção, por isso, esperamos que atue a todo vapor.

Há mais de um ano convivemos com o "novo normal", o qual não estamos satisfeitos. Para voltarmos ao "velho normal", é preciso união e empatia. A luta deve ser de todos.