A que todos sirva a educação

Raul Rodrigues
Raul Rodrigues - FOTO: Daniel Carvalho

Para aqueles que ainda não se tocaram: educação é um ato de amor, como ato de coragem que é. Sem recusar qualquer questionamento. Análise da realidade sem poder fugir à discussão criadora, sob pena de farsa. Educação não transforma o mundo: educação muda as pessoas. E as pessoas transformam o mundo. Assim, a educação, qualquer que seja ela, é sempre uma teoria do conhecimento posta em prática. Educador é aquele que se eterniza em cada um por ele educado.

Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Já que educar é impregnar de sentido tudo o que se faz a cada instante da vida, a cada ato cotidiano. Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexiva.

Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, tendo o mundo como mídia. A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. Ensinar e aprender não pode se dar fora da busca para o futuro, porque o amanhã pertence àqueles que se preparam para ele hoje.

Assim, estudar cria oportunidades que só surgirão no futuro de uma pessoa. Com isso, acabar com todo e qualquer adiamento e focar no que ainda deve ser aprendido. A vida de aluno é cheia de desafios que às vezes podem fazê-lo querer desistir. Mas educação é uma arma poderosa, por meio dela tudo se transforma. Por isso, desistir não é boa opção. De tudo que foi dito, considere-se que se resumem em algumas frases de motivação para que alunos precisem sempre se lembrar da importância de persistir.

Exemplo feliz de toda argumentação: a física brasileira Ângela Olinto, docente na Universidade de Chicago (EUA) e reitora da divisão de ciências físicas e matemáticas da instituição, tornou-se membro da Academia de Artes e Ciências dos EUA por suas contribuições teóricas e experimentais no estudo de astro-partículas. Pasmem: reconhecimento já concedido a nomes como Albert Einstein e Charles Darwin.