Hora de mostrar força

A Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) já definiu a implantação de dois pedágios em Mogi das Cruzes - um na Mogi-Dutra (SP-88) e outro na Mogi-Bertioga (SP-98) -, mas a guerra da cidade contra a medida não tem prazo para terminar.

A luta afeta diretamente Arujá, Mogi das Cruzes e Santa Isabel, mas, indiretamente, toda a região e até os que viajam de São Paulo para o litoral. O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) promete dar mais força ao movimento contra o pedágio nesta semana junto à Artesp e governo do Estado. Paralelamente, a Prefeitura de Mogi das Cruzes promete entrar na Justiça contra o projeto. Já a sociedade civil, com apoio das autoridades locais, se movimenta há mais de um ano e promete realizar a maior carreata já realizada em Mogi contra o projeto. No fim de semana passado, dois atos foram realizados - um na entrada da cidade e outro em frente à Casa do Queijo, no
km 45 da Mogi-Dutra, onde um dos pedágios poderá ser instalado.

Desde quando apresentou o projeto, a agência reguladora seguiu praticamente calada sobre o assunto. No final, deu de ombros para a reivindicação da região, ao anunciar não uma, mas duas praças de cobranças em Mogi.

Uma pergunta que fica no ar é em relação a qual autoridade teria assinado a permissão para as obras de contrapartida da Artesp pela construção do pedágio. Os ex-prefeitos Marco Bertaiolli (PSD) e Marcus Melo (PSDB) negaram a tal assinatura, assim como o atual e recém-chegado prefeito Caio Cunha (Podemos). Já a Artesp garante que tem essa assinatura.

Agora, a pressão aumenta sobre os políticos mais envolvidos com a causa. Caio Cunha, por exemplo, chegou a dizer, meses atrás que, se preciso for, deitará sobre o asfalto da Mogi-Dutra para impedir a implantação do pedágio. Bertaiolli garantiu que essa era uma ideia que "já nasceu morta". Nada disso abalou a Artesp. O projeto está mais vivo do que nunca e já foi publicado no Diário Oficial. Caso a região consiga uma reviravolta será uma vitória histórica. No momento, a guerra parece vencida pela Artesp.