Pedágio não

Olavo Câmara
Olavo Câmara - FOTO: divulgação

Chega de tributos! Impostos, taxas, tarifas e pedágios. Os brasileiros pagam mais de 70 tributos por ano. Agora vem o governador e deseja implantar pedágios na Mogi-Dutra e na Mogi-Bertioga. Ora, é preciso lembrar que Mogi das Cruzes é uma das poucas cidades com duas rodovias (as duas em questão) que foram feitas com dinheiro do município pelo prefeito da época, Waldemar Costa Filho.

Assim, seria uma grande injustiça implantar dois pedágios para satisfazer as despesas do governo estadual. Mas investimentos reais na região não tem havido. Trata-se de inversão de valores e exploração do povo da região. Imaginem aqueles que trabalham fora de Mogi e viajam de carro todos os dias (ida e volta). Caso o valor do pedágio seja de R$ 5 terá uma despesa de R$10 por dia. Haveria uma despesa mensal entre R$ 200 e R$ 250.

Em plena pandemia, com alta taxa de desemprego, dificuldades financeiras por todos os lados, com falta de alimentos e vagas em hospitais, é uma incoerência e absurdo tomar uma atitude como a que se deseja para aumentar despesas dos trabalhadores e dos contribuintes em geral.

Há gastos excessivos pelo governo, mas não se importa com as dificuldades do povo. É uma inversão de valores e exploração. O povo da região, as instituições, os vereadores e os prefeitos e instituições religiosas devem atuar com grande firmeza e defender os interesses dos municípios do Alto Tietê. É um momento de loucuras, desgraças e falta de coerência em muitos setores, mas parece que alguns governantes não veem a situação que padecem os brasileiros.

Passem os olhos para as cidades da região e verifiquem quantas empresas comerciais, industriais, escritórios e prestadores de serviços encerraram as suas atividades. O governo do Estado está abusando e aumentando as dificuldades do povo, que utiliza a Mogi-Dutra e a Mogi-Bertioga. É hora de união das autoridades regionais para que pressionem o governo (impor-lhe uma saia justa), assim trocará a calça costumeira por uma saia bem justa.