Democracia em crise

Afonso Pola
Afonso Pola - FOTO: Daniel Carvalho/Mogi News

Definitivamente, as diversas instituições políticas brasileiras não gozam de muito prestígio perante o povo. E tal situação me parece bastante justificável, pois são inúmeros os escândalos envolvendo as diferentes esferas do poder.

Esse diagnóstico é muito preocupante, pois tal perspectiva reduz de forma desproporcional a importância da atividade política para a humanidade e para a democracia. Afinal, a história nos mostra que foram as batalhas políticas vivenciadas nos séculos 19 e 20 que propiciaram conquistas fundamentais, como a abolição da escravatura, o sufrágio universal, o voto feminino e os direitos trabalhistas.

Desde o advento da Revolução Industrial, ocorrida na segunda metade do século 19, a política tem sido o grande contraponto do mercado, principalmente a partir de 1917. Mesmo com todos os seus problemas (e não foram poucos) a afirmação da União Soviética e do Bloco Socialista na primeira metade do século 20 foi responsável por algumas concessões do sistema capitalista. O Estado de bem-estar Social (Welfare State) disseminado por diversos países europeus e a ação de alguns governos da América Latina (como Peron e Vargas), caracterizados de "populistas", são evidências disso.

A edificação da democracia pelo mundo afora teve como pressuposto o fortalecimento das instituições políticas e a relação de equilíbrio entre elas. Assim, cada um dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) deve agir com total compromisso de atender ao interesse público, bem como a preservação da democracia.

É justamente por isso que nossa democracia está em crise. Nossas instituições políticas não estão cumprindo bem seus papéis. Como disse acima, a democracia pressupõe que a relação entre essas instituições seja equilibrada e que ocorra dentro dos limites das leis.

Quando importantes autoridades de um dos três poderes agem à revelia da lei e transformam narrativas mentirosas como prática recorrente, sem que os outros poderes reajam com o devido rigor, a sociedade paga um preço muito alto. E é isso que vem ocorrendo em nosso país.