Quando?

Cedric Darwin
Cedric Darwin - FOTO: divulgação

Já está cientificamente comprovado pelo experimento realizado na cidade de Serrana, interior de São Paulo, que a imunização em mais de 75% da população elide os efeitos da pandemia. A pergunta é quando esse índice atingirá o Brasil e o mundo, possibilitando a retomada segura das atividades? Segundo João Doria, no Estado de São Paulo isso ocorrerá em outubro de 2021. Ano passado, em setembro, ele disse que isso ocorreria em fevereiro de 2021, já estamos em junho e nada.

Mas a imunização está ganhando força, há significativo avanço no desenvolvimento de vacinas e fábricas capazes de garantir o abastecimento necessário com maior brevidade. É possível que a maioria da população brasileira esteja de fato imunizada em alguns meses. A vacinação de pessoas com comorbidades tem avançado o que diminui a pressão do sistema de saúde. Pessoas jovens estão sendo imunizadas. Se cada um fizer a sua parte e continuar se preservando o máximo possível, de fato, em poucos meses deixaremos para trás o desastre sanitário e humanitário que estamos vivendo hoje.

Em breve poderemos nos reunir e voltar a viver em sociedade como deve ser. Enquanto isso, a prioridade dos governos deveria ser a vacina e não campeonatos de futebol, a busca incessante pela imunização em massa. É necessário que a segunda dose seja aplicada nos mais velhos, nem que se vá até a casa deles para isso. A consciência de que a vacina é fundamental para o retorno da vida social normal é fundamental.

Evidente que muitos não irão se vacinar, uns por orgulho, outros por falsas crenças, outros por ideologia, mas se a maioria se proteger a circulação e variação do vírus se reduz. Quem pode deve se vacinar, quem ainda não pode deve estar consciente e estimular quem pode e incentivar a vacinação até chegar a sua vez.

Dentro de alguns meses certamente o Brasil terá independência produtiva da vacina e passará a exportar vacinas. Só não sabemos quando. Estamos mais perto dessa realidade, por isso precisamos continuar nos protegendo até que todos nós estejamos imunizados, se Deus quiser.