Preservar o quê?

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi celebrado, ou lamentado, ontem em vários países, entre eles o Brasil. No país, conhecido por ter a maior floresta tropical do mundo, o maior rio, a maior quantidade de água doce do mundo, 12% do total da Terra e uma quantidade diferenciada de espécies animais e vegetais que raramente é vista em outro lugar do planeta, o dia nem deve ser comentado no Palácio do Planalto.

Mas por aqui, no Alto Tietê, onde a nascente do rio que dá o nome à região está em Salesópolis, atravessa o Estado de São Paulo, chega ao rio Paraná e vai desaguar na bacia do rio da Prata, na Argentina, é um momento que deve ser não somente celebrado, mas pensado.

O Tietê é de vital importância para a região, além de contribuir com a produção agrícola regional, é utilizado para o abastecimento de grande parte de Mogi das Cruzes, por parte do Semae, então manter o rio limpo é uma questão de preservação da espécie humana, não só porque é bonito pensar na natureza. Vivemos em uma cadeia, se tudo for destruído, nós seremos destruídos também.

A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo, mas a Mata Atlântica, que está em nossa região, não fica atrás. Invasão, pilhagem e corte ilegal de árvores a prejudica, faz com que o lençol freático seja contaminado, a água da chuva, que fica retida por mais tempo no solo em razão da vegetação, passa mais rápido pelas cidades em razão do desmatamento e a consequência disso é a evaporação mais acelerada da água, muito antes de chegar às cabeceiras do Sistema Produtor Alto Tietê (Spat). É um engano achar que somente a chuva no Spat abastece o sistema, a água que é escoada por meio da vegetação também contribui com o abastecimento.

Fora isso, o Alto Tietê está localizado no cinturão verde de São Paulo, ou seja, a região é de vital importância para a preservação do meio ambiente.

Temos de fazer a nossa parte, aquela velha história de que "só eu faço, mas os demais não" não cola mais, é preciso o engajamento total, é como varrer a calçada em frente de casa. Se todo mundo varrer, no final do dia, a rua estará limpa.