CONTRACAPA

rodrigo
rodrigo - FOTO: divulgação

combate ao preconceito

Nos últimos anos, empresas vêm realizando ações para o combate do preconceito ao público LGBTQIA . Um exemplo é a distribuidora de energia no Alto Tietê, a EDP, que realiza a formação de toda sua liderança, além de áreas estratégicas como Gestão de Pessoas, Marketing, Comunicação e Auditoria Interna, quanto a temas relacionados à diversidade de gênero e sexual. Até o final de 2021, a meta da companhia é ter 100% da liderança capacitada. Ontem, a companhia promoveu uma roda de conversa idealizada pelo grupo de afinidade LGBTQIAP , com apoio e participação de seu patrono, o vice-presidente de clientes da EDP Brasil, Carlos Andrade.

socialização

Além disso, a EDP lançou o curso, voltado para fornecedores, "O Valor da Diversidade". A mais recente das ações envolve a nova sede da Companhia em São Paulo, que terá banheiros inclusivos para todos os gêneros. A EDP também garante benefícios como licença maternidade de 180 dias e licença paternidade de 30 dias, com extensão dos benefícios aos casais LGBTQIA . Há, ainda, o apoio psicológico e acolhimento oferecidos aos colaboradores.

no brasil, 55% apoiam

Para o mês do orgulho LGBT , a Ipsos realizou uma pesquisa com entrevistados de 27 países, sendo mil brasileiros, que traz insights sobre como a comunidade LGBT é vista e aceita na sociedade. No Brasil, 55% dos respondentes disseram apoiar que pessoas do mesmo sexo se casem. Por outro lado, 18% se mostraram contrários ao enlace legal; 14% são a favor de que haja algum tipo de reconhecimento por lei, mas não um casamento; e 14% não souberam responder.

15% de homossexuais

Os dados do Brasil são alinhados com a média global - com 54% dos respondentes a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo. De 27 nações, o Brasil é a 12ª que menos endossa o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. No entanto, o estudo mostrou que 15% dos entrevistados no país não se consideram heterossexuais. É o segundo maior percentual entre os 27 países.