Bola dividida entre Secretaria e Câmara

Já eram óbvias as dificuldades que o novo secretário municipal de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes enfrentaria ao assumir o cargo, após a saída de Nilo Guimarães. Para parte dos esportivas da cidade, a gestão passada deixou a desejar e o caminho para o futuro pode ser muito parecido. Muito por conta da pandemia, que vem arrasando com a economia nacional.

Os primeiros investimentos a serem cortados pelas prefeituras em momentos de crise são cultura e esporte. O esporte tem papel fundamental na sociedade e serve como ferramenta de socialização e formação de caráter, mas, quando as pastas de Saúde e Educação estão ameaçadas, é preciso sacrificar esse poderoso instrumento. Justo, quando o cobertor é curto.

A luta por resultados será árdua pelo novo secretário Ewerton Komatsubara, como já foi previsto aqui neste espaço, quando ele assumiu o cargo, na segunda semana de março. A pressão e demanda em Mogi das Cruzes na Pasta de Esportes são, sem dúvida, maiores do que nas demais cidades do Alto Tietê. Mas, nesta semana, na Câmara Municipal, algumas declarações do secretário desagradaram vereadores. A falta de um bom relacionamento entre Prefeitura e Câmara pode se transformar em um problema não esperado, em meio a tantos empecilhos.

Segundo alguns parlamentares, as críticas de Komatsubara ao Poder Legislativo foram descabidas. O vereador Juliano Botelho (PSB) apontou que o secretário, durante a audiência pública de prestação de contas do Esporte, teria feito colocações ofensivas ao trabalho dos membros da Casa de Leis. "Ele disse que o trabalho do vereador é posar para fotos e cortar a fita inaugural", relembrou, ofendido, o parlamentar, durante sessão. José Luiz Furtado (PSDB), o Zé Luiz, e Iduigues Martins (PT) apoiaram os protestos. O líder do governo na Câmara, vereador Marcos Furlan (DEM), por sua vez, fez seu papel ao colocar panos quentes na discussão.

Com tantas dificuldades que a Secretaria está enfrentando e deverá continuar encarando por um longo período, bolas divididas como essa podem atrapalhar o futuro. E quem sairá mais contundido dessa disputa, certamente serão atletas e crianças.