Escolha

Cedric Darwin
Cedric Darwin - FOTO: divulgação

A CPI já revelou a lambança na aquisição de vacinas pelo governo federal. Enquanto a Pfizer, sem sucesso, tentou insistentemente vender vacinas ao Brasil, o governo tentava comprar Covaxin, vacina produzida na Índia e as razões dessa "escolha de vacina" está sendo apurada. Mas quando uma ínfima parte da população quer fazer a "escolha da vacina" se torna vilã. Muitos aplaudem as atitudes de prefeitos, que querem punir quem escolhe a vacina, colocar no final da fila, processar. Querem transformar a vítima em vilã. A única vítima do lento processo de vacinação é a população. Enquanto na Europa as pessoas vão aos estádios de futebol, no Brasil ainda sofremos com o isolamento social.

Existe um plano nacional de imunização que é lento, a motivação dessa lentidão e da aparente ingerência está sendo investigada pela CPI do Senado. As pessoas são livres para se imunizar. Oprimir quem decide recusar a vacina de um fabricante é tornar a vítima em vilã. Os governos em todas as suas esferas estão atrasados no processo de imunização por não adquirir, distribuir e aplicar imunizantes na quantidade e velocidade necessária. Segundo a CPI poderíamos ter iniciado a imunização no final de 2020 e só começamos em janeiro de 2021 porque o Instituto Butantan e o governo do Estado de São Paulo iniciou o processo.

Hoje, apenas 13% da população brasileira está imunizada de forma completa. Se alguém se recusa a receber a vacina, esse não é um problema, milhões de pessoas querem receber qualquer vacina, o verdadeiro problema não é quem não quer, mas quem quer. Só se escolhe quando há variedade disponível e isso não há. É tudo a conta-gotas.

Em vez de perseguir quem se recusa a receber o imunizante, antecipe a vacina de quem assim desejar, como ocorre com a vacina da gripe. Se o público-alvo não aparece, até porque milhares deles já morreram vítimas da Covid, vacine quem quiser. O que falta no Brasil é vacina e não gente para ser vacinada. É para isso que são arrecadados bilhões em impostos, para melhorar a vida das pessoas. Não tirem o foco do problema, estamos atrasados com a imunização e pessoas ainda continuam morrendo.